Artigos

Teatro de Grupo

Teatro de Grupo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O Group Theatre foi formado em Nova York por Harold Clurman, Cheryl Crawford e Lee Strasberg em 1931. O Grupo foi uma tentativa pioneira de criar um coletivo de teatro, uma companhia de jogadores treinados em um estilo unificado e dedicada à apresentação de peças contemporâneas. Outros envolvidos no grupo incluíram Elia Kazan, Stella Adler, John Garfield, Luther Adler, Will Geer, Howard Da Silva, Franchot Tone, John Randolph, Joseph Bromberg, Michael Gordon, Paul Green, Clifford Odets, Paul Strand, Kurt Weill e Lee J. Cobb. Os membros do grupo tendiam a ter pontos de vista políticos de esquerda e queriam produzir peças que tratassem de questões sociais importantes. A principal contribuição de Aaron Copland foi escrever a música para Cidade quieta, uma peça escrita por Irwin Shaw.

Enquanto trabalhava no Group Theatre, Lee Strasberg desenvolveu o que ficou conhecido como Método. Baseado nas ideias do diretor russo, Konstantin Stanislavsky, era um sistema de treinamento e ensaio para atores que baseia a performance na experiência emocional interior, descoberta em grande parte por meio da improvisação. O Group Theatre produziu algumas peças notáveis, incluindo A casa de Connelly (1931 por Paul Green), História de sucesso (1932 por John Howard Lawson), Condenado (1932 por Marc Blizstein), Thh Black Pit (1933 por Albert Maltz) Homens de Branco (1933 por Sidney Kingsley), Gentle Woman, (1933 por John Howard Lawson), Desperte e cante! e Esperando por Lefty (1935 por Clifford Odets), Johnny Johnson (1936 por Paul Green e Kurt Weill), O berço vai balançar (1937 por Marc Blizstein), Meu coração está nas Terras Altas (1939 por William Saroyan) e Filho nativo (1941 por Richard Wright e Paul Green).

O Group Theatre se desfez em 1941. Após a Segunda Guerra Mundial, a maioria dos membros do grupo foi investigada pelo House of Un-American Activities Committee (HUAC). Alguns como Elia Kazan, Clifford Odets e Lee J. Cobb testemunharam e nomearam outros membros de grupos de esquerda. Aqueles que se recusaram a fazer isso, como Stella Adler, John Garfield, Will Geer, Howard da Silva, John Randolph e Joseph Bromberg foram colocados na lista negra.

Homens de Branco foi um triunfo e com o tempo ganhou o Prêmio Pulitzer. Deu ao Grupo seu primeiro grande sucesso e aos membros um longo fluxo de salários integrais. Com essa afluência repentina, sessenta dólares por semana, fiz investimentos, não em ações e títulos, mas em aulas para mim. Eu tinha que estar pronto para qualquer papel. Eu acreditava que poderia fazer qualquer parte.

Os membros do Grupo consideraram o sucesso da jogada de Kingsley de uma forma característica. Isso os fez desprezar os críticos burgueses, que elogiaram o trabalho, ainda mais do que antes, e lhes deu motivos ainda mais intensos para desprezar nosso público de classe média. Não pensaram mais na peça porque o teatro ficava lotado oito vezes por semana ou no autor porque ele usava louro. Eles acreditavam que o estilo da produção de Lee Strasberg e sua própria forma de tocar forneceram ao texto cru de Sidney Kingsley o que ele não merecia. Tudo isso atingiu Sidney, que se ressentiu.

Aprendi com Harold que a primeira tarefa de um diretor é fazer seus atores ansiosos para desempenhar seus papéis. Ele tinha uma maneira única de falar com os atores - eu não tinha e nunca ouvi falar de outro diretor que tivesse; ele os ativou com seu intelecto, suas análises e suas percepções. Mas também por seu bom humor. O trabalho de Harold foi alegre. Ele não tirou seus atores de uma posição autoritária; ele era um parceiro, não um suserano, na luta pela produção. Ele revelava a cada ator no início um conceito de sua atuação, um conceito que o ator não poderia ter previsto e não poderia ter encontrado por conta própria. As visões de Harold eram brilhantes; os atores estavam ansiosos para realizá-los. Eles também estavam cheios de compaixão pelos dilemas dos personagens, suas falhas e suas aspirações.

Em 1947, Elia Kazan, Robert Lewis e Cheryl Crawford fundaram o Actors 'Studio, a casa do "Método". Só mais tarde o estúdio recebeu Lee Strasborg, que havia sido um dos primeiros professores de Kazan (e também um oposto espiritual) no Group Theatre. Mas o estilo Actors 'Studio provaria ser enormemente influente em sua ênfase nas verdades internas a serem exploradas pelo ator - na verdade, foi um método que cultuou o atormentado taciturno, transformando-o de intérprete profissional em gênio criativo (para o bem e doente). Mais do que isso, sua ânsia por um comportamento íntimo funcionava ainda melhor em filmes do que no palco.


CONVOCAÇÃO DE TRABALHOS: HISTÓRIA DE TEATRO E GRUPO DE TRABALHO DE HISTORIOGRAFIA, IFTR GALWAY 2021

O Grupo de Trabalho de Historiografia IFTR se reunirá durante a conferência IFTR em Galway, de 12 a 16 de julho de 2021.

CHAMADA DE ARTIGOS

GRUPO DE TRABALHO DE HISTORIOGRAFIA

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL PARA PESQUISA TEATRAL

12 de julho - 16 de julho de 2021
Universidade Nacional da Irlanda, Galway

O Grupo de Trabalho de Historiografia IFTR se reunirá durante a conferência IFTR em Galway, de 12 a 16 de julho de 2021. O grupo de trabalho recebe artigos de membros novos e existentes que tratem de qualquer período ou tópico possível na história do teatro, mas como o grupo é dedicado ao teatro historiografia, os autores são convidados a se concentrar em problemas metodológicos e epistemológicos relacionados à história do teatro e da performance. As questões historiográficas discutidas pelos participantes podem ser ilustradas por meio de exemplos de casos específicos e não há restrições quanto ao tempo ou lugar histórico que uma proposta possa envolver ou ao tipo de abordagem historiográfica explorada. Esta é uma nova chamada de trabalhos para IFTR 2021.

O Grupo de Trabalho de Historiografia dá as boas-vindas, mas não se limita, a trabalhos que tratam do tema da conferência. O tema geral da conferência de 2021, Ecologias do teatro: ambientes, sustentabilidade e política , tem várias implicações críticas para a historiografia do teatro, que nos últimos anos viu uma interrogação sobre os papéis que o teatro desempenha nos ecossistemas culturais e físicos e as inúmeras maneiras pelas quais o teatro e a performance são moldados por fatores ambientais, ao longo de períodos históricos e através linhas geográficas, sociais e culturais.

Conforme apresentado na descrição dos convocadores, o tema da conferência deste ano visa abordar o tópico de Ecologias de teatro em termos gerais. Ecologia é o estudo da relação entre os organismos vivos e seus ambientes (seja cultural, político, social ou biológico). Nomeando as práticas estéticas e de trabalho do teatro Como ecologias permite que estudiosos localizem performances teatrais não apenas em redes sociais, políticas e culturais, mas também em sistemas biológicos inter-relacionados. Inerentemente políticas, corporificadas e performativas, as ecologias do teatro são construídas por - e responsivas a - ambientes sociais, políticos, culturais e físicos mais amplos. Seguindo a sugestão do tema da conferência deste ano, também convidamos artigos que enfocam as relações históricas entre os ambientes sociais, culturais e físicos que moldam e afetam as práticas teatrais. Os possíveis tópicos podem incluir: teatro como um ecossistema, técnicas de preservação teatral, armazenamento e teatro de resíduos e cultura do lixo, intersecções históricas entre teatro, política, teatro ambiental e sustentabilidade. Veja o anúncio da conferência para uma elaboração completa do tópico e subtemas, no site do IFTR em iftr.org.

O Grupo de Trabalho de Historiografia trabalha distribuindo documentos aos membros antes da conferência para discussão aprofundada nas sessões da conferência. O objetivo da discussão do grupo é sempre ser construtivo. As submissões normalmente estão vinculadas a um projeto de pesquisa em andamento pelo autor. Dado o tamanho das recentes reuniões do Grupo de Trabalho Historiográfico e nosso compromisso de incluir uma gama de vozes de diversos contextos culturais, estágios de carreira e localizações geográficas, nossa reunião de 2021 incluirá documentos pré-distribuídos contendo não mais do que um 2.000 palavras provocação ou trabalho em andamento, geralmente um trecho de um rascunho de artigo ou capítulo de livro, emoldurado por questões historiográficas. Os estudiosos são convidados a falar por não mais de dez minutos sobre o contexto em que escreveram suas peças e sobre pontos historiográficos em que receberiam uma resposta particularmente bem-vinda. (Os participantes têm o cuidado de ler todos os artigos cuidadosamente, portanto, um resumo oral do artigo é desencorajado.) O grupo gasta cerca de 20 minutos discutindo cada artigo, e a ênfase da discussão está no método, e não nos detalhes do conteúdo.

Após feedback e discussão durante a reunião Z oom do Grupo de Trabalho de Historiografia em julho de 2020, pretendemos destacar nosso foco na metodologia convocando dois painéis especiais durante a reunião de 2021:

1) Uma mesa redonda considerando as implicações da pesquisa historiográfica na era do Antropoceno. A pandemia global COVID-19 e a crise climática em curso exigem que voltemos nossa atenção para nossas próprias práticas, e esta mesa redonda investigará as possibilidades e metodologias de uma ‘historiografia verde’.

2) Um painel de discussão enfocando a corporeidade e a pesquisa historiográfica em teatro e performance, considerando como e onde o corpo e a memória participam e ditam nosso trabalho.

Resumos com no máximo 300 palavras devem ser submetidos até o prazo de 31 de janeiro de 2021 através do site Cambridge Core, indicando que você está enviando para o Grupo de Trabalho de Historiografia. Por favor inclua em seu resumo uma declaração clara sobre as questões historiográficas levantadas pela obra, e se você deseja que sua proposta seja incluída em um ou em ambos os painéis especiais de metodologia.

Os convocadores do Grupo de Trabalho selecionarão as propostas que melhor se enquadrem no tema historiográfico de nosso grupo. Recebemos especialmente propostas de novos acadêmicos e de acadêmicos de fora da Europa. Se não pudermos acomodar seu artigo, iremos encaminhá-lo aos organizadores da conferência para possível colocação em um painel geral.

O texto completo do artigo selecionado deve ser enviado por e-mail aos convocadores até 7 de junho de 2021, para envio ao site do grupo, onde mais informações sobre o grupo também podem ser encontradas: http://theaterhistoriography.wordpress.com/.

Compartilhe esta chamada de artigos com quaisquer colegas ou estudantes de pesquisa que você acha que podem estar interessados. Para mais informações, entre em contato com os convocadores do grupo. Os atuais convocadores do Grupo de Trabalho de Historiografia são:


Projetado pela notável firma de arquitetos de teatro, J. B. McElfatrick e filho, o palco do Teatro Colonial e a câmara de audiência eram uma classe acima da maioria dos teatros da época. McElfatrick projetou centenas de teatros em toda a América do Norte durante a segunda metade do século 19 e os primeiros anos do século 20 - mais de 51 só na cidade de Nova York - mas o Colonial é um dos poucos que ainda estão de pé.

McElfatrick foi contratado pela família Sullivan de North Adams para construir o Empire Theatre naquela comunidade. Posteriormente, os Sullivan's ergueram o Colonial em Pittsfield utilizando os mesmos projetos. Estamos maravilhados hoje com o fato de que o Teatro Colonial foi construído em apenas 5 meses e meio a um custo de $ 70.000 em 1903, mas essa era realmente a norma naquela época. Infelizmente, o Empire Theatre foi totalmente destruído em 1912 (um destino frequente dos teatros naquela época).

Como às vezes era costume naquela época, o exterior do teatro foi projetado por um arquiteto local respeitado, Joseph McArthur Vance, que também projetou o Templo Maçônico de Pittsfield, o edifício da Ciência Cristã, a superestrutura do Estádio Wahconah Park, o Bascom Lodge do Monte Greylock, e o Teatro Mahaiwe em Great Barrington.

Sobre o arco do proscénio, em “abóbada de vela”, encontra-se uma caixa de ressonância decorada com um mural representando Arte e Música. As proporções do teatro, a caixa de ressonância, os elementos curvos da sala e os detalhes de gesso articulado são assinaturas de design de J.B. McElfatrick e parecem contribuir para a acústica natural superior do teatro.

Mais detalhes

O Teatro Colonial estreou em 28 de setembro de 1903 com uma produção da opereta Robin Hood pelos Bostonians, um famoso grupo de turismo. A casa foi vendida.

O Colonial logo se tornou uma parada regular para artistas de grande nome, Incluindo:

  • Atriz Maude Adams (4 vezes)
  • Irmãos interinos John e Ethel Barrymore (várias vezes)
  • Atriz Sarah Bernhardt (duas vezes)
  • Pianista de jazz Eubie Blake (duas vezes)
  • Dramaturgo / músico e dançarino George M. Cohan
  • Max Fiedler e a Orquestra Sinfônica de Boston
  • Pianista Ignace Jan Paderewski
  • Prima Ballerina Anna Pavlova
  • Compositor e pianista Sergei Rachmaninoff
  • Humorista Will Rogers
  • Março Rei João Filipe Sousa e sua banda (4 vezes)
  • Turnê de Ziegfeld Follies 1928 com um elenco de 100 pessoas, incluindo as Rockettes

As proporções perfeitas do Teatro Colonial foram realçadas com intrincados trabalhos de gesso e ricos acabamentos e, após extensas renovações em 1912, tecnologia teatral de última geração - faróis elétricos, luzes de fronteira e quadro de distribuição da General Electric Company.

Em 1934, o Colonial terminou seus anos como um teatro reverenciado nacionalmente e em grande parte fechou suas portas devido à pressão econômica da Depressão.

Em 1937, o Colonial foi reaberto, uma nova marquise, sala de projeção e duas lojas de varejo foram adicionadas à fachada do edifício, alterando drasticamente suas linhas clássicas. Funcionava principalmente como um cinema, embora algumas apresentações na comunidade continuassem até o dia em que o cinema fechou.

Em 31 de dezembro de 1952, o Colonial, que não funcionava mais como teatro, foi comprado por George e Sally Ruth Miller, que transferiram seus negócios para o que antes era o nível de orquestra. Para acomodar um negócio de varejo de pintura e arte, o piso da orquestra foi nivelado e um teto falso foi adicionado, ocultando & # 8211 e preservando & # 8211 as varandas e detalhes arquitetônicos elaborados. A família Miller é creditada por todos os associados ao teatro por manter a integridade estrutural e decorativa do The Colonial Theatre até que a comunidade estivesse pronta para trazê-lo de volta ao serviço como um centro de entretenimento comunitário.

Em 1997, visitas públicas ao teatro levaram a uma maior conscientização da comunidade sobre seu potencial. Então a senadora estadual Andrea F. Nuciforo, Jr. de Pittsfield anunciou que o projeto de lei pendente do Centro de Convenções de Massachusetts incluía US $ 2,5 milhões em financiamento para o Projeto de Restauração do Teatro Colonial. Visitas públicas regulares subsequentes ao edifício foram programadas pela Friends of The Colonial Theatre Restoration, Inc. e o sentimento público sobre o valor do projeto para Pittsfield começou a crescer.

Em 1998, depois de muitos anos de esforços dos Amigos da Restauração do Teatro Colonial, Inc. para que o significado histórico do teatro fosse reconhecido pela comunidade e pela nação, o Teatro Colonial foi designado Tesouro Histórico Nacional pelo Programa de Tesouros do Serviço Nacional de Parques da Save America . Reforçada por uma visita a Pittsfield pela então primeira-dama Hillary Clinton, essa designação deu credibilidade nacional ao plano de restaurar e operar o Teatro Colonial. O senador Nuciforo continuou a garantir apoio adicional da Commonwealth para o projeto, enquanto outros construíam o ímpeto local e os planos para o teatro.

Em 2001, o teatro foi comprado da família Miller e a The Colonial Theatre Association iniciou o processo de restauração removendo as paredes e tetos temporários e analisando as camadas de tinta para confirmar se a ornamentação original correspondia à descrição em notícias de sua inauguração em 1903. Após anos de projeto, planejamento e arrecadação de fundos da comunidade, a reabilitação do histórico Colonial Theatre e a extensa renovação da Berkshire Auto Garage adjacente foram realizadas.

Em agosto de 2006, o teatro foi reaberto ao público. O processo de construção de vinte e dois meses preservou e reinstalou todos os recursos arquitetônicos e de design historicamente significativos, ao mesmo tempo em que criava um centro de desempenho moderno equipado para atender às necessidades dos artistas e do público. O público ficou maravilhado com a entrada abobadada dourada, as caixas e sacada decoradas de maneira elaborada, o gesso meticulosamente trabalhado e os detalhes ornamentais primorosamente pintados. O nível superior da Galeria preservou os raros assentos de "banco" de respaldo alto original, de onde a vista da "abóbada de vela" original sobre o proscênio, completo com seu mural central restaurado com as musas da arte e da música, poderia mais uma vez inspirar todos os que vi isso.

No subseqüente anos, o Colonial aprimorou a experiência de aprendizagem para dezenas de milhares de crianças em idade escolar, atendeu centenas de milhares de visitantes, gerou milhões anualmente em impacto econômico na comunidade e atendeu ou superou as expectativas que a maioria das pessoas em Berkshires tinham quando lutavam para restauração O Teatro Colonial começou.

Sobre J.B. McElfatrick

Nascido perto de Harrisburg, PA em 1824, John B. McElfatrick, auxiliado por seus dois filhos em vários momentos de sua carreira, projetou as linhas de visão e planos acústicos sobre os quais muitos teatros americanos foram construídos. Na cidade de Nova York, ele projetou o edifício do teatro Abbey (mais tarde Knickerbocker), os teatros New York e Criterion (ambos parte do extenso complexo de entretenimento Olympia de Oscar Hammerstein na Times Square), Empire, Theatre Republic, Broadway, Alhambra, Murray Hill, Teatros Metropolis e Hudson, Harlem Opera House e FF Proctor & # 8217s Pleasure Palace. Ele também dirigiu o redesenho e a reconstrução da Metropolitan Opera House depois que ela foi destruída por um incêndio em 1892. Destes, apenas o Theatre Republic (agora o New Victory Theatre) e o Hudson ainda estão de pé.

Os proeminentes arquitetos do teatro americano de sua época, os prolíficos McElfatricks também projetaram o National Theatre em Washington DC e a Hammerstein (mais tarde Metropolitan) Opera House da Filadélfia (a maior do mundo na época em que foi construída), entre centenas de outras em todo o país.

John B. McElfatrick morreu em 1906 aos 81 anos, ainda trabalhando nos planos para novos cinemas.


História da Produção (1975-2017)

1 a 4 de janeiro Reprise dos nove trabalhos de streaming de 2020
1º de janeiro - 30 de maio Trechos da tela House / Lights como parte de The Body Electric, uma exposição no Museu de Arte e Design, Miami Dade College, Miami, Flórida
4 de janeiro - 14 de abril Ensaios da mãe na garagem do espetáculo
28 de janeiro, 25 de fevereiro, 25 de março e 29 de abril Fran & amp Kate & rsquos Drama Club online via Zoom
21 a 24 de março Transmissão online gratuita do caso do Town Hall através do site Schaubuehne & rsquos

2 a 14 de janeiro Ensaios de A Mãe na The Performing Garage
23 de janeiro - 2 de fevereiro Apresentações de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) no NYU Skirball Center, Nova York, Nova York
6 de fevereiro - 18 de março Ensaios da mãe na garagem performática
23 a 30 de março Transmissão online gratuita de To You, The Birdie! (Ph & egravedre)
31 de março - 7 de abril Transmissão online gratuita de Hamlet
7 a 13 de abril Transmissão online gratuita do Brace Up!
13 a 20 de abril Transmissão online gratuita de Rumstick Road
20 a 27 de abril Transmissão online gratuita de House / Lights
27 de abril - 3 de maio Streaming online gratuito de Flaubert sonha com viajar, mas a doença de sua mãe o impede e Canal J de Frank Dell & rsquos A Tentação de Santo Antônio
4 a 17 de maio Reprise dos sete trabalhos de streaming da primavera de 2020
Abril - junho Ensaios remotos de novos trabalhos
27 de julho a 24 de agosto Transmissão online gratuita do The Room
31 de agosto - 23 de dezembro Ensaios da mãe na garagem do espetáculo
De 1 a 14 de setembro Transmissão online gratuita de The B-Side: "Negro Folklore from Texas State Prisons," A Record Album Interpretation
5 de novembro - 31 de dezembro Trechos da tela House / Lights como parte de The Body Electric, uma exposição no Museu de Arte e Design, Miami Dade College, Miami, Flórida
29 de dezembro - 31 de dezembro Reprise dos nove trabalhos de streaming de 2020

2 a 18 de janeiro Ensaios para Desde I Can Remember na The Performing Garage
30 de janeiro a 3 de fevereiro Apresentações do lado B: & ldquoNegro Folklore das prisões estaduais do Texas & rdquo no Roy and Edna Disney / CalArts Theatre em Los Angeles, Califórnia
13 a 20 de fevereiro Ensaios para Desde I Can Remember na The Performing Garage
De 1º a 31 de março Apresentações do lado B: & ldquoNegro Folklore das prisões estaduais do Texas & rdquo em St. Ann & rsquos Warehouse, Brooklyn, Nova York
7 de março Exibição de To You, The Birdie! (Ph & egravedre) na The Performing Garage
12 de março, Exibição de Hamlet na The Performing Garage
14 de março Exibição de Rumstick Road na The Performing Garage
30 de março a 21 de julho Trechos da tela House / Lights como parte de The Body Electric, uma exposição no Walker Art Center, Minneapolis, Minnesota
2 de abril. The Wooster Group & rsquos 2019 Benefício oferecido por Sam Gold no The Performing Garage
11 a 14 de abril Apresentações do caso da Câmara Municipal no Festival Internationale Neue Dramatik (FIND), Schaub & uumlhne, Berlim, Alemanha
22 de abril a 7 de maio Ensaios para Desde que eu consigo me lembrar na The Performing Garage
8 a 25 de maio. Ensaios abertos de Since I Can Remember no The Performing Garage
5 a 8 de setembro Apresentações do lado B: & ldquoNegro Folklore das prisões estaduais do Texas & rdquo em FringeArts, Filadélfia, Pensilvânia
10 a 27 de setembro Ensaios de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) na The Performing Garage
7 de outubro a 5 de novembro Trabalho de pesquisa e tradução de The Mother at The Performing Garage
8 de novembro a 16 de fevereiro de 2020 A exposição The Wooster Group na galeria de comércio de carruagens, Nova York, Nova York
15 a 17 de novembro Apresentações de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) no Festival d & rsquoAutomne & agrave Paris / Les spectacles vivants du Centre Pompidou, Paris, França
25 de novembro - 31 de dezembro Ensaios da mãe na garagem performática

7 a 13 de janeiro Apresentações de The Town Hall Affair no Sydney Festival, Sydney Opera House, Sydney, Austrália
8 - 11 de fevereiro Apresentações do lado B: & ldquoNegro Folklore das prisões estaduais do Texas & rdquo no Center for the Arts, University at Buffalo, Buffalo, Nova York
19 de fevereiro - 21 de março Ensaios de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) na The Performing Garage
5 a 15 de abril Apresentações de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) no Roy and Edna Disney / CalArts Theatre em Los Angeles, Califórnia
23 de abril Exibições de Brace Up! e para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no Martin E. Segal Theatre Center, City University of New York
24 a 27 de abril Ensaios de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) na The Performing Garage
28 de abril a 2 de junho Apresentações de uma cadeira rosa (no lugar de uma antiguidade falsa) na garagem performática
21 a 24 de junho Apresentações de The Town Hall Affair no Barbican, Londres, Reino Unido
6 a 20 de setembro Ensaios para Desde I Can Remember na The Performing Garage
29 de setembro a 1º de outubro Apresentações de The Town Hall Affair no KAAT (Kanagawa Arts Theatre), Yokohama, Japão
12 a 14 de outubro Apresentações de The Town Hall Affair no Kyoto Art Theatre Shunjuza como parte do Kyoto Experiment 2018, Kyoto, Japão
22 de outubro a 21 de dezembro Ensaios para Desde que eu consigo me lembrar na The Performing Garage
6 de dezembro Exibição de Rumstick Road no KW Institute for Contemporary Art, Berlim, Alemanha

2 a 26 de janeiro Ensaios para A PINK CHAIR no The Performing Garage com ensaios abertos em 25 de janeiro e 26 de janeiro
4 de fevereiro - 4 de março Apresentações do THE TOWN HALL AFFAIR no The Performing Garage
5 de outubro The Wooster Group & rsquos 2017 Benefício apresentado por Maura Tierney no The Performing Garage
22 de março a 1º de abril apresentações do THE TOWN HALL AFFAIR no REDCAT em Los Angeles, Califórnia
6 a 16 de abril Apresentações do THE TOWN HALL AFFAIR no Z SPACE em São Francisco, Califórnia
26 de abril a 21 de junho Ensaios para A PINK CHAIR no The Performing Garage
7 a 12 de julho Ensaios para A PINK CHAIR no Bard College, Annandale-on-Hudson, Nova York
13 a 23 de julho Apresentações de A PINK CHAIR no Richard B. Fisher Center for the Performing Arts, Bard College, Annandale-on-Hudson, Nova York
30 de agosto - 1º de setembro Ensaios de THE B-SIDE no The Performing Garage
8 a 10 de setembro Apresentações do THE B-SIDE no Wellspring Theatre, Taipei Arts Festival, Taiwan
23 a 24 de setembro Apresentações do THE B-SIDE no Asia Culture Center, Gwangju, República da Coréia
6 a 13 de outubro Novo trabalho em desenvolvimento na The Performing Garage
18 a 24 de outubro Ensaios de THE B-SIDE no The Performing Garage
Benefício do outono de 24 de outubro de 2017 apresentado por Frances McDormand (Três outdoors fora de Ebbing, Missouri triagem)
25 de outubro a 19 de novembro Apresentações de THE B-SIDE na The Performing Garage
20 de novembro - 6 de dezembro Mudança para EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage, com ensaios de 1 a 6 de dezembro
7 a 17 de dezembro Apresentações de EARLY SHAKER SPIRITUALS na The Performing Garage
17 de dezembro Exibição de um trecho de THE B-SIDE em & ldquoThe Shape of Things & rdquo com curadoria de Carrie Mae Weems, no Park Avenue Armory, Nova York

5 a 21 de janeiro Ensaios para THE TOWN HALL AFFAIR no The Performing Garage
27 a 30 de janeiro Ensaios de THE B-SIDE no The Performing Garage
4 a 14 de fevereiro Apresentações do THE ROOM em REDCAT, Los Angeles, Califórnia
7 de fevereiro Exibição de WHITE HOMELAND COMMANDO em 356 S. Mission Rd., Los Angeles, Califórnia
16 a 18 de fevereiro, 9, 14, 23, 30 de março, 6, 13 de abril e 27 Ensaios para THE B-SIDE no The Performing Garage
23 de fevereiro - 11 de março Ensaios para A PINK CHAIR no The Performing Garage
16 de março - 10 de maio Ensaios para THE TOWN HALL AFFAIR no The Performing Garage
15 de abril a 6 de setembro Exposição de trechos do HAMLET e materiais relacionados como parte de & ldquoShakespeare In Ten Acts & rdquo na British Library, Londres, Reino Unido
11 a 27 de maio Exibições antecipadas de THE TOWN HALL AFFAIR no The Performing Garage
2 de junho Exibição de RUMSTICK ROAD no & ldquoBetween Realities and Fictions & mdash Festival of Dcoumentaries on Theatre and Performance, & rdquo SESC Consola & ccedil & atildeo, S & atildeo Paulo, Brasil
3 de junho Exibição de HAMLET, seguido de The Wooster Group in Conversation, na British Library, Londres, Reino Unido
6 a 29 de junho: Ensaios de THE TOWN HALL AFFAIR e THE B-SIDE no The Performing Garage
8 a 26 de agosto Ensaios para THE B-SIDE no The Performing Garage
21 a 24 de setembro Apresentações do THE TOWN HALL AFFAIR em deSingel, Antuérpia, Bélgica
28 de setembro a 1º de outubro apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no Centre Pompidou, Festival d & rsquoAutomne & agrave Paris, França
6 a 8 de outubro Apresentações de THE TOWN HALL AFFAIR no Centre Pompidou, Festival d & rsquoAutomne & agrave Paris, França
6 a 10 de outubro Exibições de FISH STORY, HOUSE / LIGHTS, HAMLET, TO YOU, THE BIRDIE! (Ph & egravedre) no Stockholm Fringe Festival, Estocolmo, Suécia
20 de outubro - 19 de novembro Ensaios e apresentações de trabalhos em andamento (9 a 19 de novembro) de THE B-SIDE no The Performing Garage
28 de novembro a 23 de dezembro Ensaios para A PINK CHAIR no The Performing Garage

4 a 9 de janeiro Ensaios de THE ROOM no The Performing Garage (ensaios abertos em 8 de janeiro e 9 de janeiro)
21 de janeiro a 1º de fevereiro Apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no REDCAT em Los Angeles, Califórnia
30 de janeiro RUMSTICK ROAD exibido no Segal Film Festival on Theatre & amp Performance, CUNY, NYC
5 a 8 de fevereiro Apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no Z Space em São Francisco, Califórnia
11 de fevereiro Exibição RUMSTICK ROAD em Counterpulse, São Francisco, Califórnia
26 de fevereiro - 21 de março CLIAM, TROJÃS! ensaios no TPG (26 de fevereiro a 10 de março) e no St. Ann & rsquos Warehouse (17 a 21 de março)
24 de março - 19 de abril CLIAM, TROJANS! apresentações no St. Ann & rsquos Warehouse no Brooklyn, Nova York
23 de abril - 4 de maio Apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no St. Ann & rsquos Warehouse no Brooklyn, Nova York
30 de abril - Cerimônia de corte da fita na inauguração do novo Whitney Museum of American Art
5 de maio a 30 de agosto Adereços e fantasias do Wooster Group exibidos em MANIFESTEN, Kranenburgh, Bergen, Holanda
16 de maio HOJE, DEVO PARABÉNS SINCERAMENTE, & ldquoOpole / New York & ldquo do POOR THEATER, ON TOUR (PARA VOCÊ, O BIRDIE!), FINALIZAR OS CRÉDITOS & AMPLIAR DIÁRIOS selecionados no Anthology Film Archives
20 a 24 de maio Apresentações de CRY, TROJANS! em Kunstenfestivaldesarts, Kaaitheater, Bruxelas, Bélgica
De 28 a 31 de maio, apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS em deSingel, Antuérpia, Bélgica
9 de junho - 1 de julho Ensaios para novo trabalho (THE TOWN HALL AFFAIR) no The Performing Garage
6, 13 e 20 de julho Exibições no Mass Live Arts: RUMSTICK ROAD & ldquoMore ou menos tudo isso: Seleções de trabalho que abrange 40 anos & rdquo e HOUSE / LIGHTS. Bard College em Simon & rsquos Rock, Great Barrington, Massachusetts.
3 a 29 de setembro e 8 a 27 de outubro Ensaios do THE ROOM no The Performing Garage
5 de outubro The Wooster Group & rsquos 2015 Benefício apresentado por Frances McDormand no The Performing Garage
28 de outubro - 21 de novembro Exibições antecipadas de THE ROOM na The Performing Garage
5 e 19 de novembro Exibições de RUMSTICK ROAD e WHITE HOMELAND COMMANDO na International House Philadelphia
30 de novembro - 10 de dezembro Ensaios para novo trabalho (projeto Kantor) na The Performing Garage
19 de dezembro Exibição de TO YOU, THE BIRDIE! (Ph & egravedre) no Metropolitan Theatre, Tóquio, Japão
De 22 a 23 de dezembro, apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no Sound Live Tokyo Festival, Spiral Hall, Tóquio, Japão

8 de janeiro - 15 de fevereiro CLIAM, TROJÃES! apresentações no The Performing Garage
27 de fevereiro - 9 de março CLIAM, TROJÃS! apresentações no REDCAT em Los Angeles, Califórnia
24 de abril Exibição e conversa com Elizabeth LeCompte e Hilton Als na Electronic Arts Intermix, Nova York, NY
25 de abril - 17 de maio Ensaios do EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage
1 a 7 de maio Exibições do RUMSTICK ROAD no Anthology Film Archives, em Nova York
17 de maio a 15 de junho Apresentações do EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage
20 de junho Exibição RUMSTICK ROAD em 356 Mission Street, Los Angeles, Califórnia
3 a 9 de setembro, CRY, TROJANS! ensaios na The Performing Garage
4 de setembro - 15 de novembro PARA VOCÊ, O AVES! (Ph & egravedre) exibição na exposição CodeAct, Coreana Museum of Art, Seul, Coreia
De 18 a 21 de setembro, CRY, TROJANS! apresentações no Festival Internacional de Arte de Cingapura, Teatro SOTA, Cingapura
26 de setembro - 11 de outubro AINDA HÁ TEMPO. . Instalação da BROTHER no Chronus Art Center, Xangai, China, 29 de setembro Exibição RUMSTICK ROAD no The Silent Barn, Brooklyn
Exibições de 1º, 8 e 13 de outubro WHITE HOMELAND COMMANDO no Spectacle Theatre, Brooklyn
3 de outubro FLAUBERT DREAMS OF TRAVEL. . "
3 de outubro - 19 de dezembro Ensaios de THE ROOM e CRY, TROJANS! na The Performing Garage
17 de outubro Exibição RUMSTICK ROAD no Museu de Arte de Cleveland, Cleveland, Ohio.
16 de novembro RUMSTICK ROAD exibido no Festival de Artes de Cinema de Houston, Houston, Texas

Janeiro Ensaios do EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage
17-20 de janeiro Apresentações do HAMLET no Festival Internacional de Santiago a Mil, Santiago, Chile
De 14 a 16 de fevereiro, apresentações do EARLY PLAYS no Yerba Buena Center for the Arts, São Francisco, Califórnia
De 21 a 24 de fevereiro, apresentações do EARLY PLAYS no REDCAT, Los Angeles, Califórnia
3 de março RUMSTICK ROAD vídeo reconstrução exibição beneficente no The Performing Garage
De 4 a 8 de março, ensaios do EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage
13 a 31 de março AINDA HÁ TEMPO. . BROTHER e The Wooster Group em Cinema e Vídeo: Seleções do Arquivo do SESC Pompeia, S & atildeo Paulo, Brasil
13 a 17 de março Apresentações do HAMLET no SESC Pompeia, S & atildeo Paulo, Brasil
22 a 24 de março Apresentações VIEUX CARR & Eacute no SESC Pompeia, S & atildeo Paulo, Brasil
4 a 12 de abril, 20 a 25 de maio Ensaios do EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage (ensaios abertos de 11 a 12 de abril e 25 de maio)
Abril - junho CRY, TROJANS! ensaios na The Performing Garage
20 de abril a 12 de maio Exibições de HULA e COMPETIÇÃO DE CHOROS no Serious Laughs: Arts * Política * Exposição de humor, Ulster Performing Arts Center, Kingston, Nova York
Apresentações do HAMLET de 10 a 13 de agosto no Festival Internacional de Edimburgo, Royal Lyceum Theatre, Edimburgo, Reino Unido
10 a 13 de agosto Exibições de RUMSTICK ROAD (10 de agosto), HOUSE / LIGHTS (11 de agosto), PARA VOCÊ, O AVES! (Ph & egravedre) (12 de agosto), e O IMPERADOR JONES, HOJE, DEVO PARECER SINCERAMENTE VOCÊ, e RHYME & rsquoEM TO MORTE (13 de agosto) no Festival Internacional de Edimburgo, New Media Scotland, Edimburgo, Reino Unido
De 3 a 6 de outubro, RUMSTICK ROAD exibições no Festival de Cinema de Nova York, Lincoln Center, Nova York
4 de outubro PARA VOCÊ, O BIRDIE! exibição na Universidade de Princeton
Setembro - dezembro CRY, TROJANS! ensaios no The Performing Garage (ensaios abertos em 17 de outubro e 24 de novembro, 1º e 7 de novembro) Ensaios de 9 a 19 de dezembro EARLY SHAKER SPIRITUALS no The Performing Garage

Ensaios das primeiras peças de janeiro no The Performing Garage
Ensaios do Early Play de fevereiro no St. Ann's Warehouse no Brooklyn, NY
De 15 de fevereiro a 11 de março Primeiras apresentações no St. Ann's Warehouse em Brooklyn, NY
17-23 de fevereiro The Wooster Group on Film and Video 1975-2004 - uma série de uma semana de quatorze programas diferentes de exibições, leituras e palestras no Anthology Film Archives, Nova York, NY
28 a 31 de março Vieux Carr e apresentações incríveis no World Stage no Harbourfront Centre em Toronto, Canadá
Ensaios de Troilus e amp Cressida de abril a junho no The Performing Garage
Ensaios de Troilus & amp Cressida de junho a julho com a Royal Shakespeare Company em Londres, Reino Unido
3 a 18 de agosto Apresentações de Troilus e amp Cressida no The Swan Theatre, Stratford, Reino Unido
De 24 de agosto a 8 de setembro, Apresentações de Troilus e amp Cressida no Riverside Studios, Londres, Reino Unido
4 de outubro a 7 de outubro Apresentações de Hamlet no O'Reilly Theatre no Dublin Theatre Festival, Dublin, Irlanda
4 de outubro a 7 de outubro Rumstick Road House / Lights To You, the Birdie! (Ph & egravedre) As seleções do Imperador Jones das trilogias "The Road to Immortality" e "Three Places in Rhode Island" exibidas no Irish Film Institute como parte do Dublin Theatre Festival, Dublin, Irlanda
18 de outubro a 23 de outubro Ensaios de Hamlet no The Performing Garage
De 24 de outubro a 18 de novembro, apresentações em Hamlet no The Performing Garage
Novembro-dezembro Cry, Trojans! e os ensaios do Early Shaker Spirituals no The Performing Garage

Ensaios de Hamlet de 3 a 7 de janeiro no The Performing Garage
10 a 14 de janeiro Ensaios de Troilus & amp Cressida com a Royal Shakespeare Company na garagem
17 de janeiro a 1 ° de fevereiro Vieux Carr e seus ensaios no Baryshnikov Arts Center, Nova York
2 de fevereiro a 13 de março Vieux Carr e excelentes apresentações no Baryshnikov Arts Center, Nova York
Leituras de 23 a 25 de fevereiro para Early Plays, uma colaboração com Richard Maxwell e New York City Players, no Baryshnikov Arts Center, NYC
Trechos de 3 de março a 2 de abril de Rumstick Road e The Emperor Jones incluídos na exposição "Two Colors" na Elisabeth Ivers Gallery e Kathleen Cullen Fine Art, Nova York
22 de março a 19 de abril Ensaios de Troilus & amp Cressida com a Royal Shakespeare Company na garagem
De 4 a 7 de maio Vieux Carr e suas apresentações no deSingel International Arts Campus em Antuérpia, Bélgica
De 18 a 21 de maio Vieux Carr e suas apresentações no National Th & eacute & acirctre Bourgogne em Dijon, França
11 a 13 de junho Vieux Carr e apresentações incríveis no Holland Festival em Amsterdã, Holanda
Ensaios iniciais de 16 de junho a 8 de julho para as primeiras peças na garagem
8 de julho Ensaio de abertura das primeiras peças no Garage
11 a 22 de julho: Ensaios de Troilus e amp Cressida no Garage
25 de julho a 13 de agosto 14º Instituto anual de verão na The Performing Garage
De 11 a 13 de agosto, exibições de VIAJE A LA LUNA no Summer Institute no The Performing Garage
-> Ensaios de Hamlet de 12 a 30 de setembro no Garage
1º de outubro James Strahs morre de 12 a 16 de outubro. Apresentações de Hamlet no Ringling International Arts Festival em Sarasota, Flórida
11 a 12 de novembro Vieux Carr e apresentações incríveis no Nationaltheatret Hovedscenen em Oslo, Noruega
22 a 26 de novembro Vieux Carr e cada uma das apresentações no Th & eacute & acirctre National de Toulouse-Midi-Pyr & eacuten & eacutees em Toulouse, França
5 a 20 de dezembro Ensaios de Troilus e amp Cressida no Garage

Ensaios de janeiro no Atlântico Norte
10 a 21 de fevereiro Atlântico Norte em REDCAT, Los Angeles, Califórnia
11 de março a 25 de abril Atlântico Norte no Baryshnikov Arts Center, Nova York
15 de março TWG Art Benefit apresentado pela Sean Kelly Gallery
6 a 9 de maio Hamlet no Bulandra Theatre, Bucareste, Romênia
25 de maio a 25 de junho Vieux Carr e seus ensaios
19 de junho a 26 de setembro "Canal J" de. St.Antony incluído na exposição "100 Years (version # 3, Moscow)" no Garage Center for Contemporary Culture, Moscou, Rússia
25 de junho a 12 de setembro Rhyme 'Em To Death incluída na exposição' Ellipsis 'no Paillard Contemporary Art Centre, Ponce sur le Loir, França
21 a 24 de agosto Vieux Carr & eacute no Festival Internacional de Edimburgo, Edimburgo, Reino Unido
10 a 18 de setembro Ainda há tempo. . Instalação de vídeo da Brother 360 & deg apresentada pelo Portland Institute for Contemporary Art no Portland Center for the Performing Arts, Portland, Oregon
15 de setembro a 5 de outubro Ensaios de novos trabalhos
15 de setembro, o primeiro TWG Diários é postado
6 a 29 de outubro Vieux Carr e seus ensaios
19 de outubro e 29 Vieux Carr e ensaios abertos de primeira
Retiro dos EmcArts de 1 a 5 de novembro em Warrenton, Virgínia
8 a 16 de novembro Vieux Carr e os ensaios de cada um
9 de novembro Vieux Carr e um ensaio de abertura
De 1 a 12 de dezembro Vieux Carr & eacute na REDCAT em Los Angeles, Califórnia
16 a 22 de dezembro Ensaios do Novo Trabalho

7 a 11 de janeiro O Imperador Jones no Festival Eugene O'Neill, Goodman Theatre, Chicago, Illinois
18 a 22 de fevereiro O Imperador Jones no Festival de Artes de Hong Kong, Hong Kong
17 de março a 29 de abril La Didone no St Ann's Warehouse, Brooklyn, NY
May Vieux Carr e seus ensaios
11 a 21 de junho La Didone em REDCAT, Los Angeles, Califórnia
29 de julho a 16 de agosto Hamlet em Festiwal Szekspirowski, Gdansk, Polônia
Vieux Carr de agosto a outubro e os seus ensaios
Outubro DVDs de Brace Up !, The Emperor Jones e (uma remasterizada) House / Lights entram em distribuição
De 10 de outubro a 29 de julho de 2010, "Canal J". Santo Antônio incluído na exposição "100 anos (versão # 1, Duesseldorf)" na Julia Stoschek Foundation, Duesseldorf, Alemanha
19 de dezembro a 21 de fevereiro de 2010 Rhyme 'Em To Death incluída na exposição "Todas as criaturas grandes e pequenas" na Galeria Nacional Zacheta, Varsóvia, Polônia
1 de novembro a 5 de abril de 2010 "Canal J" de. St. Antony incluído na exposição "100 Years (version # 2, PS1, New York)" no PS1, Long Island City, NY
6 a 14 de novembro Vieux Carr & eacute nas estreias do Festival, Theatre National de Strasbourg, Estrasburgo, França
19 a 23 de novembro Vieux Carr & eacute no Festival d'Automne Paris, Centre Pompidou, Paris, França
4 de dezembro I Am Jerome Bel na Rolex, Londres, Inglaterra
Dezembro Começam os ensaios para um renascimento do 'cavalo de guerra' do Atlântico Norte por Jim Strahs

Janeiro trabalhando com Fischerspooner em sua próxima turnê mundial
30 de janeiro a 10 de fevereiro Hamlet em REDCAT, Los Angeles, Califórnia
Ensaios de La Didone em fevereiro, março, abril, maio
5 a 9 de maio trabalhando com Fischerspooner
Filmimg de 11 a 14 de maio para Vieux Carr e eacute em Nova Orleans, Louisiana
Ensaios do Poor Theatre de 19 a 26 de maio
13 a 16 de junho Hamlet no Festival Helênico, Atenas, Grécia
21 a 24 de junho Poor Theatre no Eurokaz Festival, Zagreb, Croácia
29 de junho a 3 de julho trabalhando em Há ainda tempo. . Insatura de vídeo Brother 360 e deg na EMPAC em Troy, NY
Ensaios de setembro La Didone
16 de setembro a 11 de novembro & quotOpole / New York & quot do Poor Theatre incluído na exposição "Revolutions 1968" na Zacheta National Gallery, Varsóvia, Polônia
De 18 a 20 de setembro La Didone abre os ensaios no St. Ann's Warehouse, Brooklyn, NY
19 de setembro a 8 de novembro Hunchback (uma pausa artística na MTV em 1992) incluída na exposição "Agency: Art and Advertising" no McDonough Museum of Art em Youngstown, Ohio
3 a 5 de outubro. Ainda há tempo. . Instalação de vídeo da Brother 360 & deg em EMPAC, Troy, NY
De 16 a 18 de outubro La Didone no Grand Theatre de la Ville, Luxemburgo
28 de outubro a 18 de novembro I Am Jerome Bel e ensaios do Vieux Carré
22 de outubro Eu sou Jerome Bel no Baryshnikov Arts Center, Nova York
20 de novembro a 4 de dezembro Vieux Carr e seus ensaios
De 4 a 8 de dezembro Vieux Carr e uma pesquisa acurada em Nova Orleans, Louisiana
9 a 18 de dezembro Vieux Carr e os ensaios de cada um

Ensaios de janeiro, fevereiro para Hamlet
27 de fevereiro - 25 de março Apresentações de pré-visualização do Hamlet no St. Ann's Warehouse - Brooklyn, NY
19 a 24 de maio La Didone no Kaai Theatre em Bruxelas, Bélgica
30 de maio a 2 de junho La Didone em Rotterdamse Schouwburg em Rotterdam, Holanda
6 a 9 de junho Hamlet no Holland Festival em Amsterdã, Holanda
Junho ainda há tempo. . Trabalho de preparação do irmão
Julho ainda há tempo. . Irmão filmando
De 18 a 22 de agosto La Didone no Festival Internacional de Edimburgo '07 em Edimburgo, Escócia
5 a 9 de setembro O Emperor Jones no Philadelphia Live Arts Festival de 2007 na Filadélfia, PA
Publicação de outubro de "The Wooster Group Work Book", editado por Andrew Quick
9 de outubro - 2 de dezembro Hamlet - estréia no The Public Theatre, Nova York
14 de dezembro - 6 de janeiro de 2008 Ainda há tempo. . Instalação de vídeo da Brother 360 e deg na ZKM em Karlsruhe, Alemanha

Ensaios de janeiro para 'novo trabalho' - Hamlet
21 de janeiro Mostra House / Lights no Muse & eacute du Louvre, Paris, França
Ensaios de fevereiro para Hamlet e para a revivificação de The Emperor Jones no St. Ann's Warehouse - Brooklyn, NY
1 de março - 2 de abril O Imperador Jones no Armazém de St. Ann's - os ensaios de Hamlet continuam
Abril, maio Ensaios para Hamlet e um 'novo projeto de ópera'
Ensaios de maio para Hamlet
Ensaios de junho para Who's Your Dada ?!
27 de junho a 1 ° de julho Hamlet no Festival Grec - Barcelona, ​​Espanha
Ensaios de julho para To You, The Birdie! (Ph & egravedre)
16 a 19 de julho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no Festival Helênico - Atenas, Grécia
Ensaios de agosto para Who's Your Dada ?!
6, 7 e 9 de setembro Who's Your Dada ?! no MoMA - The Museum of Modern Art, NYC
Ensaios de setembro Hamlet
Ensaios de outubro para um 'novo projeto de ópera' - La Didone
22 a 25 de outubro Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no Territory Festival - Moscou, Rússia
4 a 10 de novembro Hamlet no Festival D'Automne - Paris, França
16 a 20 de novembro Hamlet no Hebbel Theatre - Berlim, Alemanha
Novembro Trabalho em um 'projeto de nova mídia' - posteriormente intitulado: There Is Still Time. . Irmão
Ensaios de dezembro para La Didone

Ensaios de janeiro para o revival de House / Lights
2 de fevereiro a 10 de abril House / Lights no St. Ann's Warehouse no Brooklyn
Março - abril - maio - junho Ensaios de 'novo trabalho'
20 de março Trechos de The Emperor Jones exibidos como parte de uma noite beneficente em homenagem a David Linton em Tonic, Nova York
23 de junho a 2 de julho Poor Theatre at Kaaitheatre, Bruxelas
Julho Ensaios de 'novo trabalho'
14 de setembro a 15 de outubro Poor Theatre at The Performing Garage
Out - Nov - Dez Ensaios de 'novo trabalho' - Hamlet

18 de fevereiro - 24 de abril Poor Theatre at The Performing Garage
4 de junho White Homeland Commando e Rhyme 'Em to Death exibidos como parte da exposição "Terrorvision", com curadoria de Jeanette Ingberman e Papo Colo na Exit Art, NYC
17 a 20 de junho Para Você, O Passarinho! (Ph & egravedre) na Bienal de Bonn, Halle Beuel, Bonn, Alemanha
12 a 16 de julho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no GREC Festival 2004, Theatre Lliure, Barcelona, ​​Espanha
19 a 22 de agosto Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) em Welt in Basel Festival, Reithalle, Basel, Suíça
15 de setembro Seleções do arquivo do Grupo Wooster em homenagem a Spalding Gray no The Performing Garage
22 a 26 de setembro Poor Theatre em Cal Arts / Red Cat, Los Angeles, CA
5 a 10 de outubro Poor Theatre no Hebbel am Ufer Theatre / Hau II, Berlim, Alemanha
16 a 20 de outubro Poor Theatre Festival of Theatre Festivals, Teatr Dramatyczny, Varsóvia, Polônia
O DVD House / Lights de novembro vai para a distribuição
10 de novembro a 19 de dezembro Poor Theatre at The Performing Garage

Ensaios de janeiro para o renascimento do Brace Up!
19 de fevereiro - abril Brace Up! (2003) no St. Ann's Warehouse no Brooklyn
Março - abril - maio ensaios de 'novo trabalho' - posteriormente intitulado Poor Theatre
30 de maio - 3 de junho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) Teatr Dramatyczny, Varsóvia, Polônia
11 a 15 de junho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) Holland Festival, Amsterdam, Holanda
8 de julho a 29 de agosto "By the Sea" e "The Nun's Home Movie" de Point Judith (um epílogo) incluídos na exposição "Half Air" na Marianne Boesky Gallery, NYC
26 de junho - 30 de junho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) Hebbel Theatre, Berlim, Alemanha
Setembro - outubro - novembro, ensaios de 'novo trabalho' - posteriormente intitulado Poor Theatre
Apresentações de 19 de novembro a 19 de dezembro de 'novo trabalho' - posteriormente intitulado Poor Theatre

1 ° de fevereiro a 30 de março Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) em St. Ann's Warehouse, Brooklyn
9 a 23 de maio Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no Riverside Studios, London International Festival of Theatre
31 de maio - 5 de junho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no Festival Internacional de Teatro de Istambul
13 a 19 de junho Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) em Kaaitheatre, Bruxelas, Bélgica
15 a 19 de outubro Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) no The Wexner Center, Columbus, OH
25 a 31 de outubro Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) em On the Boards, Seattle, WA
8 a 17 de novembro Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) em UCLA, Los Angeles, CA
Os ensaios de dezembro começam para o renascimento do Brace Up!

Ensaios de Ph & egravedre de janeiro a fevereiro
14 a 17 de março House / Lights em La Rose des Vents, França
21 a 24 de março House / Lights no Theatre Garonne, França
28 a 31 de março House / Lights em Le Maillon, França
Ensaios de ph & egravedre de abril a maio
1º de junho - 1º de julho Ph & egravedre (novo trabalho) na The Performing Garage
6 a 23 de setembro: Apresentações do Work in Progress de Ph & egravedre (New Work), agora intitulado To You, The Birdie! (Ph & egravedre) na The Performing Garage
19 de outubro a 6 de novembro The Hairy Ape no Festival de Melbourne, Austrália
14 a 17 de novembro ATLÂNTICO DO NORTE no Festival D'Automne, Paris
22 a 26 de novembro The Hairy Ape no Festival D'Automne, Paris
28 de novembro a 7 de dezembro Para você, o passarinho! (Ph & egravedre) realizada no Festival D'Automne, Paris

11 de janeiro - 27 de fevereiro ATLÂNTICO DO NORTE na The Performing Garage
Março - abril - maio Ensaios de Ph & egravedre
27 a 31 de maio House / Lights no Bergen International Theatre, Noruega
7 a 10 de junho House / Lights at Tramway, Glasgow
23 a 27 de junho ATLÂNTICO DO NORTE em Kaaitheatre, Bruxelas
Ensaios de Ph & egravedre de setembro a outubro
15 a 19 de novembro ATLÂNTICO NORTE em On The Boards, Seattle
28 de novembro - 2 de dezembro ATLÂNTICO DO NORTE no The Wexner Center, Columbus, OH
7 a 10 de dezembro ATLÂNTICO NORTE no Walker Art Center, Minneapolis, MN

Janeiro - Março House / Lights na The Performing Garage
Ensaios do ATLÂNTICO DO NORTE de abril a maio
27 a 31 de maio House / Lights no Festival des Amerique de Montreal
Junho - julho A edição do vídeo de The Emperor Jones continua
16 de julho Exibição do vídeo de The Emperor Jones no The New York Video Festival
Setembro - outubro Ensaios do ATLÂNTICO NORTE
14 de outubro - 21 de novembro ATLÂNTICO DO NORTE na The Performing Garage
8 a 18 de dezembro House / Lights no Theatre de la Bastille, Paris

Ensaios de janeiro House / Lights
Março, abril, maio The Emperor Jones at The Performing Garage
28 de maio a 1 ° de junho House / Lights no Kunstfest, Weimar
7 a 16 de junho The Hairy Ape e House / Lights no The Holland Festival, Amsterdã
25 de junho a 3 de julho The Hairy Ape na Bavarian State Opera, Munique
11 a 15 de julho O Macaco Peludo no Festival Murgulho No Futuro, Lisboa (Expo 98)
Ensaios de setembro House / Lights
3 a 25 de outubro House / Lights na Performing Garage
20 a 24 de novembro O Imperador Jones no Festival de Belfast no Queen's
2 a 6 de dezembro House / Lights em Desingel, Antuérpia
9 - 12 de dezembro House / Lights no Kaaitheatre, Bruxelas

Os ensaios de House / Lights de janeiro a fevereiro continuam com uma apresentação de fim de semana em fevereiro
March Wrong Guys incluídos na Bienal de Whitney, Nova York, NY
Março - 25 de maio The Hairy Ape no Selwyn Theatre, Nova York, NY
4 a 9 de junho The Hairy Ape no The Weiner Feswochen, Viena
14 a 16 de junho The Hairy Ape no Theatre Am Turm, Frankfurt
22 a 30 de junho The Hairy Ape no The Hebbel Theatre, Berlim
Setembro House / Lights ensaios e apresentações no The Wexner Center, Columbus, Ohio
28 de outubro a 2 de novembro House / Lights em Kanonhallen, Copenhagen
12 a 16 de novembro House / Lights no Museu de Arte Contemporânea, Chicago, lL
20 a 23 de novembro House / Lights no The Walker Art Center, Minneapolis, MN
Ensaios de House / Lights em dezembro no The Performing Garage
Dezembro Trisha Brown, com Diane Madden, coreografa uma curta dança que mais tarde é incorporada ao House / Lights

Ensaios do The Hairy Ape em janeiro
24 de janeiro - 18 de fevereiro O macaco peludo na garagem do espetáculo
Ensaios do Fish Story de fevereiro a março
21 a 25 de março Fish Story em Bogotá, Colômbia
18 de abril a 4 de maio Fish Story, The Emperor Jones, The Hairy Ape, todos no The Luna Theatre, Bruxelas, Bélgica
Maio edição e gravação de som continua em Wrong Guys, edição começa no vídeo de The Emperor Jones
Os ensaios de junho começam no 'novo trabalho', mais tarde intitulado House / Lights
Preparação e filmagem de 10 a 16 de junho das cenas de 'motel' de Wrong Guys
A edição de setembro continua no vídeo Wrong Guys e The Emperor Jones
Ensaios de House / Lights de outubro a dezembro, a edição do Wrong Guys continua

Ensaios do The Hairy Ape em janeiro
1 de fevereiro - 5 de março Apresentações de trabalhos em andamento de The Hairy Ape no The Performing Garage
Março A Tentação de Santo Antônio em São Paulo, Brasil
Março - junho Rhyme 'Em to Death incluído na Bienal de Whitney, Nova York
Ensaios de April The Hairy Ape
22 de abril a junho Apresentações de trabalho em andamento de The Hairy Ape no The Performing Garage
Trabalho de preparação de June Wrong Guys
Julho Wrong Guys filmando no Maine
Setembro - outubro O Imperador Jones na The Performing Garage
Filmagem de outubro do vídeo de The Emperor Jones no The Performing Garage
Filmagem de outubro da cena 'Sugar Shack' de Wrong Guys na The Perfroming Garage
A edição de novembro e dezembro começa em Wrong Guys
11 de dezembro Filme em andamento Wrong Guys exibido e lido por Jim Strahs na Matthew Marks Gallery, em Nova York

29 de dezembro a 29 de janeiro Fish Story at The Performing Garage
Fevereiro Começa a pesquisa no & quot Projeto Faust & quot
3 a 6 de março Brace Up! no Festival de Artes de Hong Kong
24 de março - 9 de abril O Imperador Jones na The Performing Garage. Durante esta corrida, Willem é ensaiado no papel de Ron em The Temptation of St. Antony, de Frank Dell.
16 de abril Ron Vawter morre
29 de abril a 8 de maio, The Temptation of St. Antony, de Frank Dell, no Teatro Hebbel, Berlim, Alemanha
13 a 17 de maio Fish Story na Maison des Arts, Creteil, França
Junho, julho Começam os ensaios do The Hairy Ape
30 de agosto - 9 de setembro Ensaios do The Hairy Ape
23 a 28 de setembro Brace Up! e Fish Story em Hamburgo, Alemanha
Outubro Prepare-se! na The Performing Garage
Novembro Fish Story na Performing Garage
Ensaios do The Hairy Ape em dezembro

28 de janeiro a 6 de fevereiro O Imperador Jones na The Performing Garage
Fevereiro, março Ensaios do Fish Story no The Performing Garage.
Março - junho White Homeland Commando incluído na Bienal de Whitney, Nova York
15 de abril a 1º de maio The Emperor Jones e Fish Story (trabalho em andamento) como projeto duplo na The Performing Garage
16 a 19 de maio The Emperor Jones and Fish Story em Viena
27 de maio a 4 de junho The Emperor Jones and Fish Story em Bruxelas
9 a 13 de junho Brace Up! em Antuérpia
18 a 27 de junho Brace Up! , The Emperor Jones e Fish Story (trabalho em andamento) no Theatre de Welt Festival em Munique
2 a 6 de julho Brace Up! em Londres.
August Maine. Trabalho de roteiro em The Black Hole.
7 a 11 de setembro The Emperor Jones and Fish Story (trabalho em andamento) em Arhus
15 a 19 de setembro The Emperor Jones and Fish Story (trabalho em andamento) em Estocolmo
15 a 23 de outubro The Emperor Jones and Fish Story (trabalho em andamento) em Frankfurt
Começam os ensaios de outubro para remontar The Temptation of St. Antony, de Frank Dell.
11 de novembro a 5 de dezembro Frank Dell's The Temptation of St. Antony at The Performing Garage
29 de dezembro Planos iniciais feitos para o & quot Projeto Faust & quot com Ron

Janeiro - fevereiro Sessões de vídeo do The Peggy Carstairs Report
Janeiro - março Trabalho no material para uma nova peça (mais tarde intitulada Fish Story)
Janeiro - 16 de fevereiro Ensaios de Roy Cohn / Jack Smith e apresentações de trabalho em andamento no The Performing Garage
Edição de som do White Homeland Commando de fevereiro
Fevereiro - Março Ensaios para Danças das Ilhas Wuji
Março Brace Up! ensaios
27 de março - 25 de abril Brace Up! na The Performing Garage
1º de abril Rae Whitfield e os Johnsons apresentam Danças das Ilhas Wuji no Museu Whitney
de Arte Americana em Phillip Morris, NYC
May Brace Up! em Gessnerallee, Zurique, Suíça
May Brace Up! em lisboa, portugal
1 ° de maio, 7 de junho, Ron Vawter apresenta Roy Cohn / Jack Smith no The Performing Garage
Pré-produção de June Rhyme 'Em to Death
Julho de filmagem do filme Rhyme 'Em to Death
Agosto, setembro Ensaios do The Emperor Jones no The Performing Garage
8 a 17 de outubro The Emperor Jones (trabalho em andamento) na The Performing Garage
Outubro, novembro A obra de edição de Rhyme 'Em to Death começa
28 de outubro a 1 ° de novembro Brace Up! em Tramway, Glasgow, Escócia
10 a 14 de novembro Brace Up! no Festival Sigma, Bordeaux, França
19 a 22 de novembro O Imperador Jones no Theatre Am Turm, Frankfurt, Alemanha

18 de janeiro - 9 de março Brace Up! na The Performing Garage
21 a 24 de março Brace Up! em On the Boards, Seattle, Washington
3 a 6 de abril Brace Up! no The Walker Art Center, Minneapolis, Minnesota
Edição de imagem bruta de April White Homeland Commando
19 de abril Hoje, devo felicitá-lo sinceramente pela 'sessão de fotos' do banheiro na The Performing Garage
24 a 28 de abril Brace Up! no Theatre Am Turm, Frankfurt, Alemanha
4 a 9 de maio Brace Up! no Hebel Theatre, Berlim
14 a 20 de maio Brace Up! no Touch Time Festival, Theatre Bellevue, Amsterdam, Holanda
25 a 29 de maio Brace Up! em Wiener Festwochen, Viena, Áustria
Junho, julho Edição final da imagem do White Homeland Commando
12 de setembro - 26 de outubro Prepare-se! na The Performing Garage
26 a 28 de agosto Filmagem do Kisser - que mais tarde se tornaria parte do Hunchback - um 'Art Break' da MTV
6 a 14 de novembro Brace Up! no Theatre Am Turm, Frankfurt, Alemanha
19 a 27 de novembro Brace Up! no Kaaitheatre, Bruxelas, Bélgica
Edição de som do White Homeland Commando de dezembro
Corcunda de dezembro - uma filmagem do filme 'Art Break' da MTV
Dezembro Ron Vawter ensaia Roy Cohn / Jack Smith no The Performing Garage
(sob a égide da Garage Productions)

Janeiro - abril Brace Up! ensaios na The Performing Garage
24-26 de março Trechos de Brace Up! mostrado na The Performing Garage como parte da série 'Works & amp Process' do Museu Guggenheim
10 a 13 de maio Santo Antônio e Brace Up! trabalho em andamento no Theatre Am Turm, Frankfurt, Alemanha
21 a 27 de maio St.Antony e Brace Up! trabalho em andamento na Wiener Festwochen, Viena, Áustria
Pré-produção de junho para hoje, devo felicitá-lo sinceramente pelas filmagens
1 a 3 de julho Hoje, devo felicitá-lo sinceramente pela filmagem na The Performing Garage
30 de agosto - 4 de setembro Santo Antônio no Temporary Contemporary, Los Angeles, CA
4 a 19 de outubro L.S.D. , Santo Antônio e Brace Up! trabalhos em andamento no The Tramway Theatre, em Glasgow
Novembro, dezembro Brace Up! ensaios na The Performing Garage

Janeiro de filmagem do White Homeland Commando
1º de fevereiro - 5 L.S.D. em Toronto, Canadá
Em fevereiro, março começam os ensaios da tradução de Paul Schmidt de "As Três Irmãs" de Chekhov, que mais tarde se chamaria Brace Up!
Trabalho de pós-produção do April White Homeland Commando
15 a 20 de maio Santo Antônio em de Singel, Antuérpia, Bélgica
1 a 4 de junho Santo Antônio no Festival de Théâtre des Amériques, Montreal, Canadá
Junho, julho Brace Up! currículo de ensaios
14 de setembro - 29 de outubro Santo Antônio na The Performing Garage
6 de novembro, St. Antony, 'Episode One', no The New Museum, Nova York, NY
Dezembro Trabalho de roteiro no projeto de filme Love Affair

6 de janeiro - 22 de fevereiro Sinfonia de Ratos na The Performing Garage
Janeiro - abril Trabalho de roteiro no projeto de filme This Will Kill That
23 a 28 de maio L.S.D. no Festival de Jerusalém, Israel. Filmagem de vídeo do Cubby em Jerusalém (mais tarde incorporado a Santo Antônio)
5 a 30 de junho no Atlântico Norte beneficiam apresentações no The Performing Garage
Resumo dos ensaios de Santo Antônio de julho
Vídeo de setembro Cubby como Jesus em Veneza (mais tarde incorporado a Santo Antônio)
16 de setembro - 15 de outubro Frank Dell's The Temptation of St. Antony (agora completo) na The Performing Garage
5 a 28 de novembro, a corrida de St. Antony é retomada
Dezembro Pré-produção e ensaios do White Homeland Commando no The Performing Garage

26 de dezembro a 18 de janeiro Rota 1 e 9 de janeiro são inaugurados no The Kitchen, Nova York, NY
22 de janeiro - 10 de fevereiro L.S.D. na The Performing Garage
Fevereiro, março Os ensaios de Santo Antônio são retomados
De 1 a 26 de abril, obra em andamento de St. Antony na The Performing Garage
5 a 10 de maio, Santo Antônio no MIT, Cambridge, Missa.
4 a 7 de junho L.S.D. no Festival de Montreal, Montreal, Canadá
Meados de junho - meados de agosto Residência do Wooster Group em Northampton, Massachusetts, patrocinado pela No Theatre
18 a 21 de junho L.S.D. no Smith College, Northampton, Massachusetts.
25 - 28 de junho Santo Antônio no Smith College, Northampton, Massachusetts.
Julho, agosto Tapes de ensaio: WG uma gravação de vídeo com Ken Kobland
De 13 a 14 de agosto, uma apresentação de Wrong Guys em Thornes, Northampton, Massachusetts.
6 a 13 de setembro no Festival de Los Angeles, Califórnia. Filmagem de vídeo do Cubby em L.A. (posteriormente incorporado a Santo Antônio)
17 a 21 de setembro L.S.D. em On the Boards, Seattle, Washington
No final de setembro, outubro, os ensaios de Santo Antônio são retomados
8 de outubro - 9 de novembro Trabalho em andamento de St. Antony na The Performing Garage
Ensaios de novembro, dezembro para Symphony of Rats, uma segunda colaboração com Richard Foreman / Ontological-Hysteric Theatre

4 a 19 de janeiro L.S.D. no Kennedy Center Lab, Washington D.C.
23 - 26 de janeiro St. Antony abre os ensaios no Kennedy Center Lab concluindo a residência
6 a 16 de fevereiro Situações de confronto no andar de cima na The Performing Garage
1º de março - 15 L.S.D. no Adelaide Festival, Adelaide, Austrália
Março Enquanto na Austrália, Michael Kirby escreve White Homeland Commando para o Grupo Wooster
28 de abril a 4 de maio L.S.D. e ensaios de St. Antony filmados para o South Bank Show da ITV
26 de maio - 30 de junho Trabalho em andamento de St. Antony mostrado
12 a 18 de agosto L.S.D. no Festival de Edimburgo, Edimburgo, Escócia
21 de agosto - 6 de setembro L.S.D. apresentações e leituras públicas do White Homeland Commando no Riverside Studios, em Londres,
Inglaterra
9 a 14 de setembro no Chapter Arts Centre, Cardiff, País de Gales
5 a 11 de outubro L.S.D. na Ancienine Belgique, Bruxelas, Bélgica
15 a 19 de outubro L.S.D. no Theatre Am Turm, Frankfurt, Alemanha
28 de outubro - 2 de novembro L.S.D. no Festival Milano Oltre, Milão, Itália
Ensaios da Rota 1 e 9 de novembro no The Kitchen, Nova York, NY com a abertura marcada para 17 de novembro
Apreensão de Ron Vawter - performances na Rota 1 e no 9º adiamento

5 de janeiro -12 L.S.D. reabre no The Performing Garage com uma nova versão da Parte II, "The Hearing", escrita por Michael Kirby
26 a 27 de janeiro L.S.D. na Yale University, New Haven, Connecticut
Começam os trabalhos de "La Tentation de Saint Antoine" de Flaubert, texto sugerido por Peter Sellars
19 - 25 de fevereiro Os ensaios de Frank Dell The Temptation of St. Antony no MIT, Cambridge, MA
18 de março Ensaios de Miss Universal Happiness, uma colaboração com Richard Foreman / Ontological- Hysteric Theatre
Ensaios da Rota 1 e 9 de maio no The Performing Garage
14 de maio a 22 de junho Miss Felicidade Universal na The Performing Garage
25 a 30 de junho Rota 1 e 9 no Teatro Bastille, Paris, França
Agosto, setembro, outubro St. Antony ensaia o primeiro rascunho de vídeo do Canal J
4 de novembro O Wooster Group inicia sua residência de três meses no Kennedy Center, Washington D.C.
Novembro, dezembro Filmagem de vídeo do Canal J. Os sonhos de Flaubert de viajar, mas a doença de sua mãe o impede, uma filmagem com Ken Kobland (mais tarde incorporado a Santo Antônio)
7 a 22 de dezembro Atlântico Norte no The Playwrights Theatre, Washington D.C.

13 de outubro - 8 de janeiro L.S.D. trabalho em andamento na The Performing Garage
Janeiro Man in Miami filmado em Miami, Flórida (mais tarde incorporado ao L.S.D.)
13 de janeiro - 11 de março Atlântico Norte na The Performing Garage
7 de fevereiro - 6 de março Spalding Gray realiza natação no Camboja - parte 2 na The Performing Garage
17 de fevereiro Fita de vídeo de ensaio do Crucible on Acid (mais tarde incorporada ao L.S.D.)
24 de fevereiro - 31 de março Hula na The Performing Garage
22 de março a 13 de abril L.S.D. com as partes 1, 2 e 3 na The Performing Garage
15 de abril a 13 de maio L.S.D. primeiras apresentações de todas as quatro partes em Boston, Massachusetts
27 de setembro - 25 de novembro L.S.D. na The Performing Garage - durante esta corrida, o TWG recebe uma ameaça de cessar e desistir dos advogados de Arthur Miller
27 de outubro a 5 de janeiro de 85 Spalding Gray dá natação no Camboja no The Performing Garage
Novembro, dezembro Michael Kirby reescreve a seção "The Crucible" de L.S.D. (Parte II)

20 de janeiro a 13 de fevereiro Apresentações de trabalho em andamento de L.S.D. (. Apenas os pontos altos.) Que incluem trechos de "The Crucible" de Arthur Miller e uma interpretação do álbum "L.S.D." do Dr. Timothy Leary.
28 de fevereiro - março Preparação para a colaboração de residência com Globe Theatre, Eindhoven, Holanda. O trabalho no texto com Jim Strahs começa (mais tarde chamado de Atlântico Norte)
28 de março O Grupo Wooster parte para Eindhoven, Holanda
Ensaios do Atlântico Norte em abril, maio com Globe Theatre
21 a 28 de abril Rota 1 e 9 em Bruxelas, Bélgica
7 a 18 de junho no Atlântico Norte em Eindhoven, Holanda
29 de junho a 1º de julho Rota 1 e 9 em Zurique, Suíça
Agosto, setembro L.S.D. (. Apenas os pontos altos.) Currículo dos ensaios
Novembro começa o trabalho do Atlântico Norte na versão de Nova York
12 de dezembro a 31 de janeiro de 1984 Spalding Gray realiza natação no Camboja - parte 1 no The Performing Garage

21 de janeiro - 5 de fevereiro Hula na The Performing Garage
Janeiro, fevereiro Para os ensaios do Good Times
18 a 21 de fevereiro Hula e For the Good Times em Danspace, Nova York, NY
22 a 26 de fevereiro Rota 1 e 9 na North Eastern University, Boston
16 a 28 de março Rota 1 e 9, Hula e For the Good Times no The Mickery Theatre em Amsterdã
Preparações de abril para retrospectiva, incluindo Nayatt School, Point Judith e Route 1 & amp 9
6 a 23 de maio Escola Nayatt na The Performing Garage
3 a 13 de junho Point Judith e Route 1 & amp 9 no The Performing Garage
Viagem de carro de setembro para Salem, Massachusetts
Leituras de setembro a dezembro de "O Crisol" de Arthur Miller
28 de outubro - 19 de dezembro Spalding Gray apresenta A Spalding Gray Retrospective - 8 monólogos solo em repertório - no The Performing Garage

28 de novembro (80) - 8 de fevereiro Point Judith na The Performing Garage
19 de fevereiro - 3 de maio Ensaios de abertura do The Last Act no The Performing Garage
30 de abril a 3 de maio Point Judith no Kaaitheatre Festival, Bruxelas
June & quot Our Town & quot, uma gravação de vídeo (sequências incorporadas na Rota 1 e 9)
Ensaios de julho, agosto Hula (interpretação de um álbum)
11 a 27 de setembro Hula na The Performing Garage. Desempenho do Wooster Group sob o pseudônimo de & quotRay Whitfield and the Johnsons. & Quot
8 de outubro Rota 1 e 9 na The Performing Garage
8 - 11 de outubro Spalding Gray se apresenta em busca da garota do macaco na oficina de espetáculos
20 de novembro a 14 de fevereiro ('82) Spalding Gray executa 47 camas na The Performing Garage
Novembro, dezembro Trabalho na interpretação do segundo álbum do Dr. Timothy Leary "L.S.D."

28 de dezembro (79) - 2 de março Point Judith no The Envelope, Nova York
21 de março a 27 de abril Rumstick Road no American Place Theatre, em Nova York
6 a 24 de maio Point Judith no The Mickery Theatre em Amsterdã, Holanda
14 de junho Primeira leitura de & quotOur Town & quot
25 de junho - julho Seguindo o meu caminho? , uma filmagem em Nova Jersey (filmagem posteriormente incorporada à Rota 1 e ao amp 9)
10 de setembro - Ensaios de The Last Act de fevereiro (posteriormente intitulado Route 1 e amp 9)
Novembro Work on Pigmeat Markham rotinas começa (incorporado na Rota 1 e amp 9 ).
A lição - filmagem de vídeo da sequência de Clifton Fadiman (filmagem incorporada na Rota 1 e amp 9)
7 de novembro a 31 de janeiro (81) Spalding Gray apresenta uma história pessoal do teatro americano no The Performing Garage
28 de novembro a 8 de fevereiro (81) Point Judith na Performing Garage

8 de dezembro (& # 14678) - 4 de fevereiro Three Places in Rhode Island (Sakonnet Point, Rumstick Road, Nayatt School) na The Performing Garage
Janeiro Pais e filhos ensaios (mais tarde intitulado Point Judith (An Epilog))
24 a 28 de fevereiro Rumstick Road no 99 ¢ Floating Theatre, University of Pittsburgh em Pittsburgh, Pensilvânia
9 a 31 de março, três lugares em Rhode Island (Sakonnet Point, Rumstick Road, Nayatt School) na The Performing Garage
20 de abril a 2 de junho Spalding Gray apresenta seu primeiro monólogo solo, Sex & amp Death to the Age 14, no The Performing Garage
2 de julho a 11 de agosto Residência / Workshop no Connecticut College
Julho, Agosto By the Sea, uma filmagem na costa perto de New London, CT (filmagem incorporada em Point Judith)
13 de setembro a 27 de novembro Spalding Gray se apresenta 3 x Gray (Índia & amp After Sex & amp Death to the Age 14 Booze, carros e garotas universitárias amp) no The Performing Garage
28 de dezembro a 2 de março ('80) Point Judith no The Envelope, Nova York

27 de janeiro de 28 Rumstick Road no The Wilma Project na Filadélfia, Pensilvânia
Ensaios da Escola Nayatt de janeiro a abril
21 de abril a 11 de junho Escola Nayatt na The Performing Garage
12 a 18 de junho Rumstick Road no The New Theatre Festival em Baltimore, Maryland
19 de setembro a 29 de outubro Três lugares em Rhode Island (Sakonnet Point, Rumstick Road, Nayatt School) no The Mickery Theatre em Amsterdã.
8 de dezembro a 4 de fevereiro (& # 14679) Três lugares em Rhode Island (Sakonnet Point, Rumstick Road, Nayatt School) na The Performing Garage

27 de janeiro, 21 de fevereiro, 24 de março Ensaios de abertura da Rumstick Road
25 de março - abril Rumstick Road na The Performing Garage
June Rumstick Road na Performing Garage
Outubro, novembro, Ensaios da Nayatt School no The Wonderhorse Theatre, em Nova York
1 a 23 de dezembro Rumstick Road na The Performing Garage

10 de outubro - 1 de novembro Apresentações do Sakonnet Point no The Performing Garage
Ensaios noturnos de novembro na Rumstick Road no andar de cima no The Performing Garage
16 de dezembro Rumstick Road ensaio de abertura para público convidado, sem set

29 de maio Ensaio aberto de Sakonnet Point na Performing Garage
Apresentações de Sakonnet Point de 12 a 27 de junho no The Performing Garage
Ensaios do Sakonnet Point de setembro no The Performing Garage
15 de outubro a 13 de novembro Apresentações de Sakonnet Point no The Performing Garage


História

Embora as apresentações ao vivo no State Theatre estivessem em declínio durante os anos 1970 & # 8217, houve relatos de avistamentos estranhos & # 8211, uma presença que ninguém poderia explicar. Quando o teatro estava vazio, os funcionários da manutenção às vezes avistavam um homem nos fundos do teatro, apenas de pé, ou talvez entrando em um dos armários de utilidades. Em algumas ocasiões, a polícia foi chamada e não encontrou ninguém no prédio. Certa vez, cabelos eriçados nos pescoços dos cachorros que haviam trazido, mas nada era visível para os policiais.

Várias pessoas adivinharam a identidade do homem misterioso, J. Fred Osterstock, um cavalheiro de aparência distinta que administrou a companhia proprietária do teatro de 1936-1965. Devido a uma enchente em 1955 que cobriu o primeiro andar de sua casa por várias semanas, Fred morou no State Theatre, instalando-se no escritório localizado à direita do foyer. Ele morreu em 20 de outubro de 1957 e está enterrado no cemitério Easton. Seu espírito continua vivo no State Theatre.

Convencidos de que sua presença nunca mais o deixou, a equipe do Teatro Estadual nomeou o fantasma FRED. Quase dez avistamentos foram relatados, com alguns dos voyeurs sendo membros do Conselho de Administração do Estado. Então, no final dos anos 1970 & # 8217, o historiador Ken Klabunde viu alguém sair do palco vazio enquanto fechava para a noite. Algum tempo depois, ele encontrou uma fotografia de Osterstock e o reconheceu como o homem no palco.

Fred conseguiu suportar a restauração do State Theatre & # 8217s, concluída em 1990, e continua tendo uma presença forte e distinta no estado. Ele está incluído no livro Histórias de fantasmas do vale de Lehigh e foi apresentado à nação em 1999 no programa de rádio sindicado The Mike Gallagher Show, que foi transmitido ao vivo do State Theatre, em homenagem ao Theatre & # 8217s amigo residente.

Em 2003, o State Theatre homenageou FRED nomeando o Annual FREDDY AWARDS em sua homenagem & # 8211, uma cerimônia de premiação que reconhece realizações notáveis ​​no teatro escolar local.


THE MOORE THEATER & gt Venue History

O Moore Theatre e o adjacente Moore Hotel foram construídos pelo extravagante empreendedor imobiliário de Seattle, James A. Moore, e continua sendo o mais antigo teatro de operações em Seattle. Projetado pelo principal arquiteto da Northwestern, Edwin W. Houghton, foi inicialmente alugado e administrado pelo presidente da Northwestern Theatrical Association, John Cort.

Cortesia do Museu de História e Indústria

A epítome da elegância arquitetônica

Quando o Moore Theatre foi inaugurado em 1907, era um luxuoso local social para a elite da Era Dourada do início de Seattle. Ele foi desenvolvido em parte para capturar os clientes que visitavam a Exposição Alasca-Yukon-Pacífico de 1909. O Moore Theatre, com seus 2.436 assentos e recursos inovadores, era antes de tudo uma casa de espetáculos apresentando atrações de primeira classe. Projetada sem suportes verticais para a varanda, havia rampas suaves que levavam ao assento do segundo nível. Originalmente, o teatro tinha um fosso para orquestra, mas, ao contrário de muitos dos primeiros teatros, não tinha um órgão de tubos. O teatro tinha um exterior estilisticamente neutro em comparação com seu interior extravagante de ônix, mármore, vitrais, musas, pisos de mosaico, com decoração em marfim, rosa velho, azeitona e ouro.

A abertura do teatro foi o evento social da temporada e os repórteres notaram que “... raramente, ou nunca, foi duplicado em Seattle. "O Moore Theatre tem sido o lar de todos os tipos de artes cênicas, filmes, exposições de arte, palestrantes, comícios, revivals, shows de menestréis, formaturas e até lutas de boxe. A segunda varanda com sua entrada lateral separada foi usada durante a segregação racial período de sua história. O teatro foi a casa original da Seattle Symphony e do Seattle International Film Festival.

100 anos de história das artes cênicas

O Moore Theatre foi moldado física e culturalmente pelas agendas de seus locatários. O Circuito Vaudeville e outros tiveram um impacto significativo na configuração física do teatro. O teatro passou por uma série de esforços de renovação e mudanças de nome ao longo dos anos. Em 1974, o bem-estar físico do teatro se deteriorou e ele lutou para sobreviver. O Moore Theatre ganhou um novo propósito com o advento do Seattle International Film Festival em 1976.

Em 1994, o Moore Theatre foi alugado pela Seattle Landmark Association, mais tarde chamada Seattle Theatre Group®. O Moore Theatre celebrou seu 100º aniversário em dezembro de 2007, com uma casa aberta e eventos públicos.

Moore Theatre Renovation 2013 - Cortesia do Seattle Theatre Group®

Em julho de 2013, o Seattle Theatre Group® iniciou uma reforma de 2 meses no teatro. As mudanças incluíram a atualização de 1.800 lugares, pintura do auditório e lobby mais próximo das cores originais, melhoria do sistema de aquecimento e instalação de uma cortina que pode acomodar produções mais intimistas.

Cortesia da Cerelli Photography

The Moore Theatre Today

A renovação do Moore Theatre foi parte da administração colaborativa do Seattle Theatre Group® de seus teatros históricos para as gerações futuras desfrutarem. É o centro dos programas de educação e comunidade da STG, onde jovens artistas podem aprimorar sua arte. Continua a ser um local para apresentar um amplo espectro de artes cênicas, como dança, concertos, comédia, palestrantes, shows de variedades e muito mais.

Uma história completa do Moore Theatre pode ser encontrada em nosso Archive and Gallery, que está localizado na Paramount Theatre Tower na 911 Pine Street em Seattle. Funciona às terças e quintas-feiras, das 10h00 às 15h00. A entrada é gratuita!


Teatro em Grupo - História

Um esboço da prisão pré-revolucionária de Lancaster. O local onde Christopher Hager mais tarde construiria o Fulton Hall.

Christopher Hager, um comerciante e líder cívico de Lancaster, teve um sonho - criar um prédio que serviria como um centro comunitário para reuniões, palestras, concertos e apresentações teatrais. Ele contratou o renomado arquiteto da Filadélfia Samuel Sloan (que mais tarde projetou o Tribunal do Condado de Lancaster) para criar este edifício, que foi erguido em 1852. Chamado de Fulton Hall, em homenagem ao pioneiro da máquina a vapor do condado, Robert Fulton, foi construído sobre a fundação de Lancaster's Cadeia pré-revolucionária, onde em 1763 uma gangue de vigilantes conhecida como “Paxtang Boys” massacrou os últimos índios Conestoga detidos ali para sua proteção. Este foi um evento monumental em todas as colônias e se tornou o tema das primeiras peças escritas em solo americano - Um Diálogo entre Andrew Trueman e Thomas Zealot Sobre a Matança dos Índios em Cannestogoe e Lancaster e The Paxton Boys, uma Farsa. A parede externa do pátio da prisão é agora a parede posterior do teatro. O primeiro concerto musical no Fulton Hall foi do violinista Ole Bull e da soprano Adelina Patti, de 9 anos, para arrecadar dinheiro para um assentamento de escandinavos no Condado de Potter.Mark Twain e Horace Greeley estavam entre os palestrantes que vieram ao Fulton Hall, e as apresentações teatrais incluíram a cabana do tio Tom de Harriet Beecher Stowe. Em 1856, o salão foi vendido para Blasius Yecker, um trabalhador de arreios, e Hilaire Zaepfel, um hoteleiro. Eles aumentaram o palco e adicionaram novos assentos e dispositivos de ventilação para atrair maiores produções e públicos itinerantes. Treze anos depois, Zaepfel vendeu sua participação para Yecker, que iniciou uma grande reforma após a Guerra Civil. O arquiteto Edwin Forrest Durang (um descendente do primeiro ator da América, John Durang, um nativo de Lancaster) abaixou o auditório, acrescentou espaço para montagem do palco, construiu um arco de proscênio estendendo-se 21 pés acima do palco e acrescentou a primeira varanda. De acordo com fotos antigas, o nome foi alterado para "Yecker’s Fulton Opera House" nesta época. A grande inauguração, em 2 de outubro de 1873, foi uma performance de Otelo, beneficiando viúvas e órfãos da Guerra Civil. Artistas famosos que subseqüentemente enfeitaram o palco foram Maude Adams, John Drew, Lily Langtry e Modejeska.

Vista da Fulton Opera House de North Prince St. por volta de 1900.

O filho de Yecker, Charles, assumiu o Fulton em 1903 e contratou o arquiteto local C. Emlen Urban para redesenhar o interior em estilo neoclássico. O espaço da performance foi novamente ampliado e oito camarotes foram acrescentados, bem como a segunda varanda ou “Peanut Gallery” que foi decorada com bancos de madeira, além da grande escadaria e foyers que ainda existem hoje. O Fulton posteriormente hospedou Sarah Bernhardt, Goerge M. Cohan e uma produção de Ben Hur, completa com uma corrida de carruagem ao vivo. O Fulton foi considerado a Rainha dos Roadhouses. Depois de 1910, os filmes começaram a afastar o público da freqüência ao teatro e, com menos programas itinerantes disponíveis, Yecker instituiu sua própria companhia de ações. Em 1920, esses programas incluíam burlescos, o que levou um grupo de Lancaster chamado The Law and Order Society a prender Yecker por "exibir programas imorais". Ele vendeu o prédio, que acabou passando a ser propriedade de Ralph W. Coho, que começou a exibir filmes repetidos, intercalados com alguns shows de palco. Em 1931, Ethel Barrymore apareceu em uma peça chamada The Love Duel, e o Drama Club of Lancaster apresentou uma produção amadora de The Torch Bearers, de George Kelly. Os cinemas mais novos na North Queen Street atraíam o público com filmes de estreia e, com o passar dos anos, o Fulton se tornou um cinema de segunda categoria, com o palco vazio de atores. No início dos anos 1950, um escritor chamado Eugene Burr escreveu um artigo para o teatro Playbill de Nova York sugerindo que o Fulton se tornasse um memorial ao ator John Durang. Os leitores enviaram cópias para Joe Kingston, o editor de entretenimento do Lancaster Intelligencer Journal, que lançou uma campanha para restaurar o teatro como uma casa para produções locais, eventos musicais e companhias de turismo, organizando uma celebração de "grande reabertura" por ocasião do O 100º aniversário de Fulton desperta interesse. Em 1957, a nova administração reposicionou o teatro como um cinema de arte, com apresentações ocasionais no palco. Nos anos seguintes, foram apresentadas uma produção local de Our Town, de Thornton Wilder, com Victor Jorre como ator convidado, e uma produção itinerante de A View from the Bridge, de Arthur Miller, estrelada por Luther Adler. Os planos para uma temporada de teatro de verão foram anunciados e, o mais importante, um grupo de cidadãos interessados ​​começou a levantar dinheiro para comprar o prédio como uma fundação sem fins lucrativos. A Fulton Opera House Foundation foi formada em 1963 com Nathaniel E. Hager, cujo bisavô fundou o Fulton Hall, como seu presidente, e um Conselho de líderes comunitários. O preço de compra de $ 55.000 foi negociado e a arrecadação de fundos começou para a compra e reforma.

Fulton Opera House por volta de 1950.

A Fundação começou a apresentar alguns filmes inéditos para trazer dinheiro, como A Noviça Rebelde e Thunderball. Quando a repintura do interior começou, eles também produziram alguns shows, incluindo How to Succeed in Business e The Odd Couple, e apresentações do Lancaster Opera Workshop. O Fulton também se tornou a casa performática da Lancaster Symphony Orchestra e um musical anual apresentado pelo Lancaster Kiwanis Club. Em 1969, um grupo de teatro comunitário, Actors Company of Pennsylvania, começou a apresentar musicais e peças no palco do Fulton. Este também foi o ano em que o teatro foi declarado Patrimônio Histórico Nacional. A essa altura, o Fulton estava totalmente comprometido em ser um centro de artes cênicas para a comunidade, sem mais filmes! Ao longo dos anos 70 e 80, conforme o Fulton continuava a alugar o palco para grupos comunitários, ele começou a produzir seus próprios shows, tornando-se um teatro regional profissional em associação com a Actor's Equity Association em 1983. Também criou o programa The Theatre for Young Audiences. , que é hoje o programa de turismo mais extenso desse tipo na Pensilvânia. Em 1989, o Fulton Board lançou a The Landmark Campaign para levantar fundos para restaurar o teatro à sua elegância vitoriana original, acrescentando novos escritórios e instalações de lobby, melhores assentos, novos camarins, um estúdio de teatro flexível e instalações técnicas aprimoradas. Depois de fechar em janeiro de 1995 para a reconstrução, o Fulton acendeu novamente em 14 de outubro de 1995 com uma performance de reabertura de gala do musical Stephen Sondheim, Company. Para fortalecer ainda mais sua posição como uma empresa de produção, a Fulton se fundiu com a Actors ’Company da Pensilvânia, começando com sua temporada de 1995-96. Essa fusão ajudou a esclarecer o foco do teatro na produção e programas de alcance.

A vista de hoje do interior renovado do Fulton.

O Fulton está desfrutando de um crescimento contínuo à medida que constrói sua reputação como um produtor de teatro profissional e emocionante - favoritos premiados, peças clássicas e estreias mundiais de obras encomendadas - enquanto continua a servir a outros grupos de artes cênicas, como a Lancaster Symphony Orchestra e Opera Lancaster. Acreditamos que Christopher Hager ficaria orgulhoso de ver como seu sonho sobreviveu e prosperou. Um marco histórico. Um teatro contemporâneo. A Fulton Opera House é um dos apenas oito teatros dos Estados Unidos reconhecidos como um marco histórico nacional. Localizado no primeiro quarteirão da North Prince Street no centro de Lancaster, Pensilvânia, ele combina a elegância da arquitetura vitoriana com as comodidades e recursos técnicos de um teatro moderno. Um projeto de renovação e expansão de US $ 9,5 milhões iniciado pelo Conselho de Curadores da Fulton Opera House foi concluído em 1995. Além de restaurar o esplendor do interior, novas instalações foram adicionadas para o conforto e conveniência do público, para expandir o espaço de escritório e para fazer melhorias de última geração no próprio teatro. A construção de um anexo adjacente ao edifício original permitiu a adição de um novo átrio de dois andares, um novo espaço de escritórios no terceiro andar e um elevador que atende todos os níveis. Um edifício adquirido anteriormente no lado sul foi remodelado para incluir uma nova bilheteria e banheiros adicionais. O nível do solo abaixo do palco agora oferece camarins para grupos e individuais, uma área de montagem com cozinha, um guarda-roupa e um grande fosso para orquestra. A área do auditório reconfigurada, com 684 lugares, conta com poltronas para orquestra no primeiro nível, mezanino no segundo nível e poltronas no terceiro nível da galeria. Além das quatro orquestras e camarotes da varanda perto do palco, agora existem camarotes acessíveis na parte traseira do teatro, bem como outras áreas de estar acessíveis. Novas cabines de som e luz controlam sistemas técnicos atualizados, incluindo um sistema de som para deficientes auditivos e um sistema View-Via-Headphones para deficientes visuais. Para produções menores, o quarto nível do edifício possui um teatro estúdio flexível com 100 lugares que também funciona como uma sala de ensaio. Atenção especial foi dada à preservação e aprimoramento da integridade histórica das características arquitetônicas. A nova bilheteria fica por trás da fachada de uma versão anterior. A estátua de madeira de Robert Fulton, que originalmente adornava a frente do edifício, foi restaurada e exibida no saguão. A estátua externa é uma réplica da original.


Histórico de Representantes do Grupo

O Group Rep no Lonny Chapman Theatre começou em maio de 1973 com um grupo desorganizado de 12 atores realizando cenas para o público em uma lavanderia transformada em teatro com 36 lugares no Van Ness Boulevard. Quando Lonny Chapman entrou pela primeira vez naquele teatro, a mágica começou. Aqui estava um Diretor Artístico em busca de um teatro e uma companhia de teatro em busca de um Diretor Artístico. A combinação foi perfeita e o Group Repertory Theatre nasceu com Lonny Chapman no comando. Essa parceria continuou até seu falecimento em 2007.

O primeiro show, & # 8220Round Dance, & # 8221 uma adaptação de Schnitzlers & # 8220La Ronde, & # 8221 foi um sucesso imediato e o GRT estava a caminho. Em 1974, com o crescimento do número de produções, integrantes adicionais da empresa, além de ter adquirido seu status profissional com Equity, Chapman sugeriu que um espaço maior era necessário. Um novo local de 58 lugares foi alugado no Magnolia, que começou a tocar para casas esgotadas. O crescimento e o sucesso do GRT & # 8217s exigiram um local ainda maior. Em 1980, a Chapman garantiu a localização atual em Burbank e Vineland, que foi renovada em sua configuração atual.

Em 1999, Lonny foi homenageado quando o nome do teatro se tornou oficialmente o & # 8220Lonny Chapman Theatre, & # 8221 casa dos membros do Group Repertory Theatre, agora chamado de Group Rep no Lonny Chapman Theatre.
O Grupo Rep é uma empresa permanente de atores, diretores, escritores e técnicos. A empresa já produziu mais de 200 produções, incluindo mais de 37 Estreias Mundiais de obras originais. Agora temos mais de 80 membros ativos da empresa, desde aqueles com carreiras notáveis ​​até aqueles que estão construindo novas carreiras. A empresa foi o lar de um número incalculável & # 8211, muitos dos quais continuam carreiras de sucesso na indústria hoje. O representante do grupo espera receber novos artistas apaixonados em seu elenco distinto.

Além de produções de palco profissionais, Group Rep retribui à comunidade com sua Festa Anual de Foster Children & # 8217s. Seu programa de Ator Participante e Associados Técnicos (PATA) oferece oportunidades de estágio para aspirantes a artistas nos campos criativo e técnico. Os antigos & # 8220graduates & # 8221 do Group Rep & # 8217s PATA incluem notáveis ​​como Sean Penn e Jennifer Tilly.

Com você, nosso público, continuamos nos esforçando para cumprir a visão de Lonny Chapman: primeiro, entreter, depois iluminar a condição humana & # 8211 e nunca ser entediante. O público, a peça e o ator têm partes iguais neste emocionante empreendimento. Sejam bem-vindos aqui no Lonny Chapman Theatre por muitos anos!


História

Em outubro de 2019, o Historic Dixon Theatre Group, uma corporação 501 (c) 3, assumiu a propriedade e a operação do The Dixon | Teatro Histórico e começou a trabalhar em direção a uma nova era para este ícone cultural do Vale do Sauk, incluindo a celebração do centenário do Dixon em 2022.

Em 1920, Leonard G. Rorer, gerente do Dixon's Family Theatre, anunciou que comprou o local da The Dixon Opera House no centro de Dixon “com o propósito de erguer a melhor casa de espetáculos encontrada entre Chicago e Des Moines e de Rockford a LaSalle ”. A Opera House foi inaugurada em 1876 e funcionou até ser completamente destruída por um incêndio no início de 1920.

Em 15 de março de 1922, o Dixon Evening Telegraph anunciou a abertura do The Dixon Theatre. Uma grande imagem da fachada do teatro apresentada na primeira página e várias colunas descreviam as características internas e decorações. O Dixon custou $ 200.000 para ser construído (equivalente a $ 3 milhões hoje). Foi projetado em estilo renascentista italiano pelo arquiteto local, William J. McAlpine, que havia sido responsável pelo Tribunal do Condado de Lee, o Old Post Office e o Dixon National Bank, entre outros edifícios.

O Dixon foi inteiramente construído com materiais à prova de fogo, tijolo, terracota, concreto, aço e mosaico. “Qualidade total” foi o slogan da administração no planejamento e na montagem do teatro. O projeto do prédio era diferente da maioria dos teatros da época, pois há um apartamento acima do saguão e as vitrines dos dois lados. O tratamento arquitetônico do interior tinha uma elegância discreta com detalhes decorativos finos. O coroamento foi uma grande cúpula no centro do teto com um tratamento de céu, que mantém uma bela acústica. Há também um grande palco, poço de orquestra e um órgão de 1924.

A família Rorer foi proprietária e operou o teatro por quase 30 anos. As primeiras contas dos programas apresentavam vários atos de vaudeville, uma orquestra de sete integrantes e, freqüentemente, um filme. Um órgão acompanhou os primeiros filmes mudos e filmes falados em 1929. Muitos habitantes locais têm boas lembranças de datas no cinema e muitos jovens da área foram apresentados a peças de teatro, ópera e balé no The Dixon. Um dos eventos mais famosos foi a exibição do filme “Esquadrão Internacional” de Ronald Reagan. Por meio de mudanças de propriedade, The Dixon continuou a servir como uma sala de cinema até 1984, quando o filme final foi exibido e o teatro fechado.

Em outubro de 1985, a Dixon Theatre Renovation, Inc. assinou um contrato de locação e o The Dixon mais uma vez se tornou uma vitrine para as artes cênicas. O DTRI e a Autoridade do Centro Cívico do Condado de Lee conduziram este maravilhoso edifício durante quase 35 anos de uso quase contínuo como um centro de artes cênicas. Voluntários, junto com generosos contribuintes, renovaram o teatro e o devolveram à sua posição como um excelente bem cultural do qual toda a área do Vale do Sauk poderia desfrutar e se orgulhar.

The Dixon | O Historic Theatre pertence e é operado pelo Historic Dixon Theatre Group. O conselho é nomeado pelo prefeito e pelo conselho municipal da cidade de Dixon, mas opera como um órgão totalmente independente. O novo grupo está muito animado por estar planejando eventos futuros que incluirão música ao vivo, teatro comunitário, filmes, palestras, reuniões e conferências, continuando as tradições estabelecidas na noite de abertura em março de 1922. Temos plena confiança de que The Dixon será um farol para as artes de Chicago a Des Moines e de Rockford a LaSalle.


Sobre nós

O Teatro Bolshoi começou sua vida como teatro privado do príncipe Pyotr Urusov, príncipe príncipe de Moscou. Em 28 de março de 1776, a Imperatriz Catarina II assinou e concedeu ao Príncipe o "privilégio" de organizar apresentações teatrais, máscaras, bailes e outras formas de entretenimento por um período de dez anos. É a partir dessa data que o Teatro Bolshoi de Moscou traça sua história.

No início, a Ópera do Teatro Bolshoi e as Trupes Dramáticas formaram uma única companhia. Os membros da companhia vieram de origens muito diversas - desde artistas servos a estrelas convidadas do exterior.

A Universidade de Moscou e seu ginásio, ambos proporcionando uma boa educação musical, desempenharam um papel importante na formação da Companhia de Ópera e Drama. Aulas de teatro foram organizadas em Moscow Foundling Home, que também foi uma fonte de recrutas para a nova Companhia.

A organização de espetáculos teatrais e "entretenimentos" envolvia um pesado fardo financeiro e o príncipe Pyotr Urusov compartilhava seu "privilégio" com um parceiro de negócios, o inglês russófilo e empresário teatral Michael Maddox. Este último também foi um equilibrista, mecânico de teatro e 'conferencista', que demonstrou vários tipos de equipamentos ópticos e outras maravilhas 'mecânicas'.

O primeiro prédio do teatro foi erguido na margem direita do rio Neglinka. Ficava na Rua Petrovka, de onde o Teatro derivou seu nome Petrovsky (posteriormente seria chamado de Antigo Teatro Petrovsky). O Teatro foi inaugurado em 30 de dezembro de 1780. A apresentação de abertura consistiu em um prólogo solene The Wanderers escrito por Alexander Ablesimov e um grande balé pantomima The Magic School, produzido por Leopold Paradis com música de Joseph Starzer. Mais tarde, o repertório do teatro consistia na maior parte em óperas cômicas russas e italianas com interlúdios de balé e balés separados.

O Teatro Petrovsky, que foi construído em tempo recorde - menos de seis meses, foi o primeiro edifício de teatro público de tal tamanho e beleza a ser erguido em Moscou. É verdade que, quando o Teatro foi inaugurado, o príncipe Urusov já havia cedido seus direitos ao sócio e, no futuro, o "privilégio" foi renovado apenas em nome de Maddox.

No entanto, as expectativas deste último também foram frustradas. Constantemente forçado a solicitar empréstimos do Government Loan Office (Board of Trustees), Maddox estava mergulhado em dívidas. Somado a isso, a opinião das autoridades - a princípio muito positiva - sobre a qualidade de suas atividades empresariais mudou radicalmente. Em 1796, o arrendamento do "privilégio" pessoal de Maddox expirou e, portanto, o Theatre e suas dívidas foram transferidos para o Escritório de Empréstimos do Governo.

Em 1802-03, o teatro foi transferido para o príncipe M. Volkonsky, que era dono de uma das melhores companhias teatrais privadas de Moscou. Mas em 1804, quando o Teatro foi transferido de volta para o Escritório de Empréstimos do Governo, Volkonsky foi nomeado seu diretor assalariado.

Em 1805, decidiu-se criar uma diretoria de teatro em Moscou "nos moldes" da Diretoria de Teatros Imperiais de Petersburgo. E em 1806 este projeto foi realizado e o Teatro de Moscou adquiriu o status de imperial, passando a estar subordinado à Diretoria Conjunta de Teatros Imperiais.

Em 1806, a Escola de Teatro Petrovsky foi reorganizada na Escola de Teatro Imperial de Moscou para o treinamento de artistas de ópera, balé e teatro e músicos de orquestra de teatro (em 1911, tornou-se a Escola de Balé de Moscou).

No outono de 1805, o prédio do Teatro Petrovsky pegou fogo. A Companhia começou a se apresentar com diversos teatros particulares e a partir de 1808 no novo Teatro Arbat, projetado por Carlo Rossi. Durante a guerra de 1812 contra Napoleão, este edifício de madeira também pegou fogo.

Em 1819, foi anunciado um concurso para projetos de um novo teatro. Foi ganho por Andrei Mikhailov, professor da Academia de Artes. Seu projeto, no entanto, foi declarado muito caro. Portanto, o governador de Moscou, Dmitry Golitsyn, encarregou o arquiteto Joseph Bové de alterá-lo, o que o último fez, melhorando-o consideravelmente no processo.

Em julho de 1820 começaram os trabalhos de construção do novo teatro, que se tornaria o elemento central na composição arquitetônica da praça projetada (Teatro) a ser disposta em frente a ele e nas ruas adjacentes. A fachada, decorada por um pórtico maciço de oito colunas encimado por um frontão sobre o qual se erguia um grande grupo escultórico - Apolo em uma carruagem puxada por três cavalos, "inspecionava" a Praça do Teatro que estava em construção, aumentando em muito a beleza deste último.

Em 1822-23, os teatros de Moscou foram removidos da Diretoria Conjunta de Teatros Imperiais e entregues ao governador geral de Moscou, que recebeu o poder de nomear os diretores dos teatros imperiais de Moscou.

“Ainda mais perto, erguendo-se sobre uma ampla praça, está o Teatro Petrovsky, uma obra pioneira da arquitetura, um enorme edifício, construído com muito bom gosto, com uma cobertura plana e um pórtico imponente, encimando-o de um Apolo alabastro, imóvel sobre uma perna em uma carruagem de alabastro, e conduzindo três cavalos de alabastro enquanto olhava com aborrecimento para a parede do Kremlin que zelosamente o isolava dos monumentos sagrados e antigos da Rússia! "
Mikhail Lermontov, em uma obra que escreveu quando jovem Um Panorama de Moscou

Em 6 de janeiro de 1825, ocorreu a solene cerimônia de abertura do novo Teatro Petrovsky - já que era muito maior do que seu antecessor, era conhecido como o Grande (Bolshoi) Teatro Petrovsky. Um prólogo em verso (M. Dmitriev) especialmente escrito para a ocasião foi realizado O Triunfo das Musas, com coros e danças com música de Alexander Alyabiev, Alexei Verstovsky e F. Scholtz, e também um balé Cendrillon produzido por uma bailarina e mestre de balé convidada da França Félicité Hullen-Sor, com música do marido desta, Fernando Sor. As musas triunfaram sobre o incêndio que destruiu o antigo edifício do teatro e, lideradas pelo Gênio da Rússia, um papel dançado por Pavel Mochalov, de 25 anos, ergueu das cinzas um novo templo para a arte. E embora o Teatro fosse realmente muito grande, não foi possível acomodar todos os que desejassem estar presentes. Em reconhecimento da importância do momento e como um gesto conciliador para com aqueles que não conseguiram ser admitidos, a produção foi repetida na íntegra no dia seguinte.

O novo teatro, que era maior ainda que o Big (Bolshoi) Stone Theatre de Petersburgo, distinguia-se por sua grandeza monumental, suas proporções perfeitas, a harmonia de suas formas arquitetônicas e a riqueza de sua decoração interior. Era muito confortável: havia galerias onde o público podia passear, escadas que levavam aos níveis, salas de canto e laterais para o público descansar e vestiários espaçosos. O enorme auditório pode acomodar mais de duas mil pessoas. O fosso da orquestra foi aprofundado. Durante as máscaras, o piso das baias foi elevado ao nível do bosque, o fosso da orquestra foi coberto por painéis especiais e - o resultado final foi uma excelente pista de dança.

Em 1842, os teatros de Moscou foram novamente subordinados à Diretoria Conjunta de Teatros Imperiais. O diretor na época era A. Gedeonov, enquanto o famoso compositor Alexei Verstovsky foi nomeado gerente do escritório do Teatro de Moscou. Os anos em que esteve "no comando" (1842-59) foram conhecidos como a "era Verstovsky".

Embora o Teatro Bolshoi Petrovsky continuasse apresentando produções dramáticas, cada vez mais seu repertório foi dedicado à ópera e ao balé. Produziu obras de Donizetti, Rossini, Meyerbeer, o jovem Verdi e dos compositores russos - obras de Verstovsky e Glinka (em 1842 teve lugar a estreia de Moscou de Uma vida para o czar e em 1846 - da ópera Ruslan e Lyudmila) .

A construção do Teatro Bolshoi Petrovsky durou quase 30 anos. Mas também foi tomado pelo mesmo triste destino: em 11 de março de 1853 um incêndio irrompeu no Teatro e continuou por três dias, queimando tudo o que entrava em seu caminho - máquinas de teatro, fantasias, instrumentos musicais, notas, cenários ... O edifício ela própria foi praticamente totalmente destruída, tudo o que restou foram as paredes de pedra carbonizadas e as colunas do pórtico.

Três importantes arquitetos russos participaram do concurso para a reconstrução do Teatro. A competição foi vencida por Alberto Cavos, arquiteto-chefe dos teatros imperiais e professor da Academia de Artes de Petersburgo. Cavos, que se especializou na construção de teatros, tinha um excelente domínio da tecnologia teatral e de projetar teatros de várias camadas com palco e camarotes do tipo italiano e francês.

O trabalho de restauração progrediu em um ritmo rápido. Em maio de 1855, a demolição e limpeza das ruínas foram concluídas e a reconstrução do edifício começou. Em agosto de 1856, o Teatro abriu suas portas ao público. O fato de a construção ter sido concluída com tanta rapidez se explica pelo fato de que deveria estar pronta a tempo para as celebrações da coroação do imperador Alexandre II. O Teatro Bolshoi, virtualmente construído de novo e com grandes modificações em comparação com o edifício anterior, foi inaugurado em 20 de agosto de 1856 com uma apresentação da ópera de Vincenzo Bellini Eu puritani.

A altura total do edifício aumentou quase quatro metros. Apesar da permanência do pórtico com colunas de Bové, o aspecto da fachada principal sofreu alterações fundamentais. Um segundo frontão apareceu. A carruagem comandada pela troika de Apolo foi substituída por uma quadriga fundida em bronze. O campo interno do frontão foi decorado com um baixo-relevo de alabastro constituído por gênios alados com lira. O friso e os capitéis das colunas foram alterados. Telhados inclinados sobre pilares de ferro fundido foram erguidos sobre as entradas das fachadas laterais dos teatros.

Mas foi no auditório e nas áreas do palco e dos bastidores que Cavos, é claro, concentrou sua atenção. Na segunda metade do século XIX, o Bolshoi foi considerado um dos melhores teatros do mundo em termos de qualidades acústicas. Fama que se deve ao talento de Alberto Cavos que projetou o auditório como um grande instrumento musical. As paredes do auditório foram revestidas com painéis de pinho acusticamente ressonante, o teto de ferro foi substituído por outro de madeira, o plafond pintado sendo construído com painéis de madeira - tudo no auditório - até a decoração das caixas de papel machê - foi voltado para a acústica. Para melhorar a acústica, Cavos também preencheu o espaço, ocupado por um vestiário, por baixo do anfiteatro, sendo o primeiro deslocado para o nível das baias.

Verificou-se um aumento considerável do espaço ocupado pelo auditório, o que permitiu dotar os camarotes de ante-salas - pequenas salas preparadas para receber os visitantes dos camarotes ou dos camarotes vizinhos. O auditório de seis andares acomodou quase 2.300 pessoas. As caixas com letras mais próximas do palco em ambos os lados do auditório foram reservadas para a família do czar, ministérios da corte e administração do teatro. O camarote do czar, em frente ao palco e um pouco saliente no auditório, tornou-se o destaque deste último. A parte inferior da caixa do czar era sustentada por consoles na forma de Atlantes dobrados. A magnificência de ouro carmesim do auditório impressionou todos os que nele entraram - tanto nos primeiros anos de existência do Teatro Bolshoi quanto nas décadas posteriores.

“Tentei decorar o auditório da maneira mais extravagante, mas ao mesmo tempo o mais leve possível, no gosto renascentista misturado ao estilo bizantino. A luz branca, entremeada de ouro, o drapeado carmesim brilhante do interior das caixas, os arabescos de estuque, diferente para cada andar e o principal atrativo do auditório - o enorme lustre composto por três fileiras de luzes e candelabros decorados com cristal - tudo isso tem despertado a aprovação universal ”.
Alberto Cavos

O lustre do auditório foi originalmente iluminado por 300 lâmpadas a óleo. Para acender os pavios da lamparina a óleo, o lustre teve que ser içado por uma abertura no plafond para uma câmara especial. Foi essa abertura que ditou a composição circular do Plafond Apolo e das Musas pintado em torno dele pelo acadêmico Alexei Titov. Há um segredo anexado a este mural que será notado apenas pelo mais observador dos espectadores que, além disso, deve ser um conhecedor da mitologia grega antiga: no lugar de uma das musas canônicas - Polimnia, a Musa do sagrado hino, Titov retratou uma musa de sua própria invenção - a musa da pintura - com paleta e pincel nas mãos.

A cortina de mosca da casa principal foi criada pelo artista italiano Cosroe Dusi, um professor da Academia Imperial de Belas Artes de Petersburgo. Seu tema, a entrada de Minin e Pozharsky em Moscou, foi selecionado a partir de uma escolha de três esboços. Em 1896 foi substituída por uma nova cortina View of Moscow from Sparrow Hills (feita por Pyotr Lambin a partir de um desenho de Mikhail Bocharov), usada no início e no final das apresentações. E para os intervalos foi feita mais uma cortina - O Triunfo das Musas a partir de um esboço de Pyotr Lambin (hoje a única cortina remanescente do século 19 em poder do Teatro).

Após a Revolução de 1917, as cortinas do teatro imperial foram "banidas". Em 1920, durante o trabalho em uma produção do artista teatral Lohengrin, Fyodor, Fyodorovsky projetou uma cortina de lona cor de bronze, que mais tarde seria usada como cortina principal. Em 1935, uma nova cortina foi feita com base em um esboço de Fyodor Fyodorovsky no qual foram tecidas as datas revolucionárias - "1871, 1905, 1917". A partir de 1955, durante cinquenta anos, a famosa cortina "soviética" de ouro de Fyodor Fydorovsky, com os símbolos do estado da URSS, reinou suprema no Teatro.

Tal como acontece com a maioria dos edifícios da Praça do Teatro, o Teatro Bolshoi foi construído sobre estacas. Gradualmente, o prédio se deteriorou. O trabalho de drenagem baixou o nível das águas do subsolo. A parte superior das estacas apodreceu, o que resultou em grande afundamento do edifício. Os reparos nas fundações foram realizados em 1895 e 1898, o que, por um tempo, interrompeu a destruição em curso.

A última apresentação no Teatro Imperial Bolshoi aconteceu em 28 de fevereiro de 1917. E em 13 de março o Teatro Estadual Bolshoi abriu suas portas ao público.

Após a Revolução de Outubro, não apenas seus alicerces, a própria existência do Teatro ficou ameaçada. Vários anos se passaram antes que as autoridades, na forma do proletariado vitorioso, desistissem de vez de sua ideia de fechar o Teatro Bolshoi. Em 1919, o título de Acadêmico foi conferido ao Teatro, que naquela época não era garantia de segurança, pois, em poucos dias, a questão de encerrá-lo ou não voltou a ser acaloradamente debatida.

No entanto, em 1922, o governo bolchevique decidiu que fechar o Teatro não era economicamente viável. Por esta altura, já tinha 'adaptado' o edifício às suas próprias necessidades com força total. Os Congressos de Soviets de toda a Rússia, as sessões do Comitê Executivo Central de toda a Rússia, os Congressos de Comitern - todos ocorriam no Teatro Bolshoi. E foi a partir do palco do Teatro Bolshoi que se proclamou a formação de um novo país - a URSS.

Em 1921, uma comissão especial do governo, examinando o prédio do Teatro, considerou sua condição catastrófica. Decidiu-se realizar reparos de emergência sob a direção do arquiteto Ivan Rerberg. Foi nessa época que as fundações sob as paredes semicirculares do auditório foram reforçadas, os vestiários reformados, as escadas replanejadas, novas salas de ensaio e camarins foram criados. Em 1938, uma grande reconstrução do palco foi realizada.

O plano de reconstrução geral de Moscou (1940-41) previa a demolição de todos os edifícios entre o Teatro Bolshoi e a rua Kuznetsky Most. E no espaço vazio resultante foi planejada a construção dos edifícios auxiliares de que o Teatro tanto precisava. Já o Teatro propriamente dito deveria ser equipado com sistemas de segurança contra incêndio e ventilação. Em abril de 1941, o Teatro Bolshoi foi fechado para reforma. Apenas dois meses depois, os alemães invadiram a URSS.

Parte da Companhia de Teatro Bolshoi foi evacuada em Kuibyshev, parte permaneceu em Moscou e continuou a se apresentar no Bolshoi Filial, seu 2º estágio. Muitos artistas foram para o front para entreter as tropas, enquanto outros se juntaram e partiram para defender seu país.

Às 16 horas do dia 22 de outubro de 1941, uma bomba caiu no prédio do Teatro Bolshoi. A onda de choque passou obliquamente entre as colunas do pórtico, atravessou a parede da fachada e causou danos consideráveis ​​ao Lobby. Apesar das adversidades da guerra e do frio severo, o trabalho de restauração do Teatro foi iniciado no inverno de 1942.

E no outono de 1943, o Teatro Bolshoi abriu novamente suas portas ao público com uma produção da ópera A de Glinka Vida para o czar do qual o estigma monárquico foi apagado e seu apelo patriótico e popular reconhecido, embora, é verdade, para isso, o libreto teve que ser revisto e a ópera recebeu um novo título politicamente correto - Ivan Susanin.

Reparos cosméticos eram feitos anualmente no Teatro. E trabalhos de renovação em maior escala foram realizados regularmente. Mas, como antes, o espaço de ensaio era lamentavelmente inadequado.

Em 1960, uma grande sala de ensaios, logo abaixo do telhado, foi equipada e inaugurada no Teatro em uma sala que antes servia como oficina de decoração de palco.

Em 1975, alguns trabalhos de restauração no auditório e no Beethoven Hall foram realizados para o 200º aniversário do Theatre. Os principais problemas, porém - as fundações instáveis ​​e a falta de espaço no Teatro - não foram resolvidos.

Finalmente, em 1987, foi emitido um decreto governamental em que se decidia realizar uma reconstrução urgente do Teatro Bolshoi. Estava claro para todos, porém, que, para manter a companhia unida, ela simplesmente precisava continuar funcionando. O que se queria era uma segunda etapa. Oito anos se passaram antes que a pedra fundamental fosse lançada nos alicerces do Novo Palco do Bolshoi. E mais sete antes de terminar o trabalho de construção.

29 de novembro de 2002. The New Stage abriu com a estreia de uma nova produção de The Snow Maiden, de Rimsky-Korsakov, uma produção que estava em plena consonância com o espírito e designação do novo edifício, ou seja, era inovadora e experimental.

Em 2005, o Palco Histórico do Teatro Bolshoi foi fechado para reconstrução e reforma. Mas este é um capítulo separado na história do Teatro Bolshoi.


Assista o vídeo: GRUPOS DE TEATRO - TV GUIA DO ATOR Programa 73 (Julho 2022).


Comentários:

  1. Hardin

    Eu acho que já foi discutido.

  2. Seif

    por que não bombeia



Escreve uma mensagem